quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O CAMINHO...


O Caminho

   





Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.” (Mateus 7 : 13-14)
            
   Quando o Senhor falou nesta passagem sobre o caminho que conduz a vida eterna e o caminho que conduz a perdição, devemos notar que o caminho que conduz à perdição é bem fácil de se enxergar, pois é largo e espaçoso. Mas por que é tão fácil enxergar este caminho? Por que chama tanto a atenção dos nossos olhos? A resposta é simples, porque este é o caminho com o qual mais nos identificamos. O caminho largo é o caminho que nos agrada, este é o caminho fácil, aquele que nós não precisaremos abandonar nada para seguir, não nos será cobrado nada nesta vida para percorrê-lo. Tudo que precisamos fazer é andar e se deleitar nas facilidades que nos serão oferecidas pelo caminho, tudo será fácil, não há leis, não há regras! Mas ao percorrer o caminho largo, haverão algumas consequências inevitáveis, pois para toda ação há uma reação:

   "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." (Gálatas 6 : 7)

   Nessa sociedade em que vivemos, parece que tudo que vemos é inclinado para o mal, não há nada que não tenha um toque de malícia, desde pensamentos até ações, tudo é contaminado pela maldade. Não é necessário ser um estudioso da Bíblia, para se notar que tudo se corrompe mais e mais a cada dia, o amor se esfriou e tudo que vemos é a consequência do que Paulo diz aos Gálatas.

   “Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.” (Gálatas 6 : 8)

   Semear na carne é seguir o caminho largo do qual falou nosso Senhor, é dar vasão ao que temos dentro de nós, é simplesmente viver a vida sem se preocupar com as consequências, se preocupar apenas consigo mesmo, e com as suas vontades, “Eu primeiro” esse é o lema que sempre predominou na raça humana, esse é o lema que vigora (ou tenta vigorar), dentro de mim e de você, pois não pense que há algo bom dentro de nós seres humanos, pois este é o maior erro apregoado por todas as filosofias e religiões, inclusive algumas que se dizem “cristãs”.

   “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só. A sua garganta é um sepulcro aberto; Com as suas línguas tratam enganosamente; Peçonha de áspides está debaixo de seus lábios; Cuja boca está cheia de maldição e amargura. Os seus pés são ligeiros para derramar sangue. Em seus caminhos há destruição e miséria; E não conheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos.” (Romanos 3 : 10-18)

   Mas se não há nada de bom em nós, como seguir o caminho estreito? Pois a minha vontade é sempre inclinada para o mal, então nunca conseguirei, é muito difícil! Realmente, nunca conseguiremos seguir este caminho por méritos próprios, mas devemos atentar para o fato de que nosso Senhor falou, que embora sejam poucos os que entram pelo caminho estreito, haverão alguns. Mas se não é por mérito próprio, por mérito de quem será?

   “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus. Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé. Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei.” ( Romanos 3 : 23-28)

   O padrão de Deus para um homem é nosso Senhor Jesus Cristo, pois foi o único homem que conseguiu cumprir as exigências de Deus por méritos próprios, pois não era um homem comum, mas o próprio Deus em forma de homem. Concluímos então que para entrarmos pelo caminho estreito, devemos ser iguais a Jesus, pois o caminho estreito nada mais é que o caminho de Deus, o qual Jesus foi o primeiro a passar, e por méritos próprios.
  
   “Quem subirá ao monte do SENHOR, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este receberá a bênção do SENHOR e a justiça do Deus da sua salvação. Esta é a geração daqueles que buscam, daqueles que buscam a tua face, ó Deus de Jacó. Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O SENHOR forte e poderoso, o SENHOR poderoso na guerra. Levantai, ó portas, as vossas cabeças, levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O SENHOR dos Exércitos, ele é o Rei da Glória.” (Salmos 24 : 3-10)

   Mas este é um padrão muito elevado, jamais vou conseguir! Novamente, por mérito próprio jamais conseguiremos, mas Deus não pede que façamos isto por mérito próprio, pois é impossível. Mas Ele nos concede Graça e Misericórdia através do Seu Filho Unigênito, mesmo que não merecêssemos, Ele nos dá a Salvação, não por mérito nosso, pois não há nada de bom em nós, mas por mérito do Seu Filho, o qual nos amou tanto, que Se entregou a Si mesmo, como sacrifício Santo e agradável ao Pai.

   "Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos." (Isaías 53 : 6)

   Graças a Deus por Jesus, pois através dEle temos a justificação pelos pecados, e a fórmula para passar pela porta estreita: Sermos seus imitadores em tudo!
 Senhor, graças te damos pois Tu revelaste estas coisas a nós pequeninos. Obrigado Senhor!

sábado, 27 de agosto de 2011

Por que mudaram o nome de Jesus?


Por que mudaram o nome de Jesus?

Sim o nome é importante, porém existe uma necessidade de traduzi-lo sempre que isso for necessário. Caso contrário, precisaríamos escrever nomes árabes em caracteres arábicos e nomes chineses em ideogramas, o que tornaria os nomes ininteligíveis para ocidentais. Há casos na Bíblia em que nomes são alterados, como Saulo (que na verdade é Saul) que passa a ser identificado como Paulo a partir de certo ponto de Atos dos Apóstolos.


Existem algumas seitas hoje que fazem um grande alarde da questão do nome de Jesus, mas se você examina mais atentamente suas doutrinas descobre que a questão do nome é apenas uma cortina de fumaça para esconder graves problemas doutrinários. Além disso, todas elas acabam criando algum nome ou denominação sob a qual seus membros se reúnem, aí sim negando a importância que é ter apenas o nome de Jesus para o qual os cristãos devem se reunir.

Traduzi alguns trechos do site "Ask Dr. Brown", cujo autor é especialista em línguas semíticas. Veja o que ele diz:

"O nome hebraico-aramaico original de Jesus é yeshu'a, que é uma forma abreviada de yehosu'a (Josué), assim como Mike é a forma reduzida de Michael. O nome yeshu'a ocorre 27 vezes nas Escrituras Hebraicas (Antigo Testamento), principalmente em referência ao sumo sacerdote após o exílio na Babilônia, o qual é chamado tanto de yehoshu'a (veja, por exemplo, Zacarias 3:3), como mais frequentemente de yeshu'a (veja, por exemplo, Esdras 3:2). Portanto, o nome Yeshua's não era usual; na verdade, apenas uns 5 homens tinham este nome no Antigo Testamento. Foi assim que o nome se transformou em 'Jesus" em inglês: o yeshu'a hebraico-aramaico se tornou o grego Iesous, e depois o latino Iesus, passando para o alemão e finalmente para o inglês Jesus".

"Por que então alguns se referem a Jesus como Yahshua? Não existe absolutamente qualquer base para essa pronúncia - nenhuma mesmo - e digo isto como alguém que tem um Ph.D. em línguas semíticas. Minha opinião é que algumas pessoas zelosas, porém ignorantes em linguística, acharam que o nome de Yahweh devia aparecer em alguma parte do nome de nosso Salvador, por isso escolheram YAHshua ao invés de Yeshua - mas volto a dizer que não existe qualquer base para esta teoria"

"Quanto à conexão que se costuma fazer do nome Jesus (do grego Iesous) com Zeus, esta é uma das alegações mais ridículas que já foram feitas, mas ela ganhou mais projeção nos últimos anos (a Internet é uma ferramenta maravilhosa para desinformar), e alguns crentes acham que não é apenas preferível usar o nome hebraico-aramaico Yeshua, mas que é realmente errado usar o nome Jesus".

"Na afirmação [de que o nome grego Iesous teria sido fabricado a partir do nome do deus pagão Zeus] há dois mitos: Primeiro, não existe o nome Yahshua (como já demonstrei) e, segundo, não existe qualquer conexão entre o nome grego Iesous (ou Jesus) e no nome Zeus. Nenhuma conexão! Tentar conectar o nome Jesus ao deus pagão Zeus seria como argumentar que Tiger Woods é o nome de uma floresta infestada de tigres na Índia ('tiger woods' em inglês significa literalmente 'floresta do tigre'). É um absurdo e baseia-se numa séria ignorância linguística".

O autor do texto continua argumentando que essas idéias tem tanto fundamento quanto o boato de que Elvis está vivo. Segundo ele, o simples fato de o nome grego Iesous ter vindo da versão Septuaginta do Antigo Testamento já comprova de que não se trata de uma corrupção pagã no nome do Salvador, mas simplesmente a forma grega de traduzir o nome hebraico-aramaico Yeshua. Afinal, esse modo de traduzir Yeshua encontrado em hebraico no Antigo Testamento para Iesous em grego foi feito na Septuaginta dois séculos antes do nascimento do Salvador. Esta forma Iesous é também encontrada em mais de 5 mil manuscritos gregos do Novo Testamento e é encontrado também em textos gregos fora do Novo Testamento escritos no mesmo período.

O autor conclui dizendo: "Não se envergonhe de pronunciar o nome JESUS! Esta é a maneira corregta de dizer seu nome em inglês, do mesmo modo como Michael é a maneira correta de se dizer, em inglês, o nome hebraico mikhael, e Moisés é a forma inglesa correta de se pronunciar o nome hebraico mosheh. Ore em nome de Jesus, louve em nome de Jesus, e testemunhe em nome de Jesus. E aqueles que querem fazer referência ao fato do Messias ser judeu, que usem seu nome original Yeshua - e não Yahshua ou Yahushua - lembrando que o poder do nome não está na sua pronúncia, mas na PESSOA que o nome representa".

http://www.respondi.com.br/2010/11/por-que-mudaram-o-nome-de-jesus.html
Fonte:

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

JESUS CRISTO PREGOU PROSPERIDADE...???


JESUS CRISTO PREGOU PROSPERIDADE...???

SENDO DEUS  SE  FEZ  POBRE...


Durante Sua vida, por viver de uma forma pobre e humilde, o Senhor usou coisas emprestadas (Lc 19:29-35; 22:8-13, etc).Por ocasião da Sua morte, seu corpo foi posto em lençóis e sepulcro emprestados (Jo 19:40-42). (Convém enfatizar que, embora tenha emprestado, o Senhor nunca ficou devendo nada a ninguém.)Ele entrou neste mundo num ventre emprestado e saiu dele num sepulcro emprestado. Ambos nunca haviam sido usados. Nenhum dos dois, porém, puderam detê-Lo.Muitos entram neste mundo extremamente pobres, mas saem dele extremamente ricos. Todos nós entramos espiritualmente pobres, mas sairemos dele espiritualmente ricos (Mt 6:19, 20)?  
[Image][Image]    
O entusiasmo do escriba logo foi freado pela franca resposta do Senhor: “o Filho do Homem não tem onde reclinar Sua cabeça” (Lc 9:57, 58). As raposas tinham onde morar (seus covis); as aves do céu tinham casa (seu ninho); mas Ele, que criara tanto as raposas quanto as aves dos céus, não tinha propriedades aqui neste mundo.No começo do Se ministério, os discípulos puderam descobrir “onde moras” (Jo 1:38, 39), mas não demorou muito até que Ele estivesse vivendo sem moradia certa: pousando na casa de um (Lc 19: 5), hospedando-se em casa de outros (Jo 12:1), sendo servido pelas mulheres (Mc 15:40, 41).O exemplo do Senhor nos ensina sobre a importância desta verdade: “os que compram”, devem agir “como se não possuíssem”; “e os que usam deste mundo, como se dele não abusassem, porque a aparência deste mundo passa” (I Co 7:30, 31).  
[Image][Image]   
O Senhor Jesus nasceu em Belém de Judá; quando ainda bebê foi levado para o Egito; ainda criança foi levado para a cidade de Nazaré, onde cresceu e com a qual foi identificado (Lc 2:1, 13, 23). Nazaré não era uma cidade admirada e de expressão nacional. Muito pelo contrário, era desprezada (Jo 1:46).Impressiona pensar que Aquele que é “mais sublime do que os céus” (Hb 7:26) tenha escolhido uma cidade tão humilde para Se identificar.Esta Sua humildade, porém, nos ensina que a grandeza de uma pessoa não deve ser medida pelo tamanho geográfico e econômico da sua cidade. Além disso, aprendemos que Deus escolhe as coisas simples e desprezíveis deste mundo para confundir as grandes e gloriosas (I Co 1:27, 28).O importante não é a cidade onde você está morando. O importante é quem você tem sido para Deus na cidade onde está morando.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011



O PLANO DE DEUS PARA A SALVAÇÃO DO HOMEM
Todas as porções são extraídas da Bíblia Sagrada


1. A Bíblia apresenta a única verdade
 
"Toda a Escritura Divinamente Inspirada, é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, e para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra" (2ª de S.Paulo a Timóteo, cap.3, vers.16,17).
"Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo" (2ª de S.Pedro, 3:21).

"Nem um jota nem um til se omitirá sem que todas as coisas sejam cumpridas" (Evangelho S.Mateus 5:18).
"O céu e a terra passarão, mas as Minhas Palavras (de Jesus) não hão-de passar" ( Evangelho S.Mateus 24:35).
"Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. E não há criatura alguma encoberta diante de Deus, antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos d'Aquele com Quem temos que tratar" (Epístola aos Hebreus 4:12,13).
2. O aviso de Deus
 
"Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs subtilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo" (S.Paulo aos Colossenses 2:8).
"Ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que vos tenho anunciado, seja maldito, porque este evangelho não é segundo homem, mas segundo a Revelação de Jesus Cristo" (S.Paulo aos Gálatas 1:18, 11 e 12)
3. Qual a posição do Homem perante Deus ?
 
"Todos pecaram, e estão destituídos da glória de Deus. Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer." (Romanos 3:23, 10).
"Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração, Eu provo os pensamentos" (Jeremias 17:9,10).

"Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós." (1ª S.João 1:8).

"O salário do pecado é a morte" (Romanos 6:23a)
4. O juízo é certo e inevitável
 
"Assim como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disto o Juízo" (Hebreus 9:27).
"Quem nEle crê, não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no Nome do Unigénito Filho de Deus. E a condenação é esta: A Luz (Jesus) veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a Luz, porque as suas obras (dos homens) eram más" (S.João 3:18,19).
5. Como se obtém a salvação ?
 
Não é pela moralidade
"Há um caminho que ao Homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte". (Provérbios 14:12)
Não vem pelas obras - por aquilo que se faça.
"Porque pela GRAÇA sois salvos, e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie " (Efésios 2:8,9).
"Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a Sua Misericórdia nos salva pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo.... para que sendo justificados por Sua Graça sejamos feitos herdeiros, segundo a esperança da Vida Eterna". (Tito 3:5,7)
Não é pelo prestígio ou fama
"Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, e perder a sua alma?" (Evangelho de S.Mateus 16:26)
Também não é pela obediência à Lei ou aos Mandamentos,
"Porque todo aquele que guardar toda a lei e tropeçar em UM só ponto, tornou-se culpado de todos" (S.Tiago 2:10).
"Sabendo que o Homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela FÉ em Jesus Cristo, porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada." (Gálatas 2:16).
"Mas Agora se manifestou sem lei a Justiça de Deus, sendo justificados gratuitamente por Sua Graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Concluímos pois que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei. (Romanos 3:24,28)
Sabe qual é o único mandamento para a Salvação ?
"O Seu Mandamento é este: Que creiamos no Nome do Unigénito Filho de Deus" (1.João 3:23)
6. O Senhor Jesus é o Único que pode salvar
 
"Porque há Um só Deus, e Um só Mediador entre Deus e os Homens: JESUS CRISTO Homem, O Qual se deu a Si Mesmo em preço de redenção por todos" (2ª Timóteo 2:5,6).
"E em nenhum Outro há salvação, porque também nenhum outro Nome há dado entre os homens pelo Qual devamos ser salvos." (Actos 4:12).
"Disse Jesus: Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim." (Evangelho S.João 14:6).
"Esta é uma Palavra Fiel e digna de toda a aceitação: Que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores." (1ª Timóteo 1:15).
7. Quero ser salvo; o que devo fazer ?
 
"Que é necessário que eu faça para me salvar ? - Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo. (Actos 16:30,31).
"Ora, sem Fé, é impossível agradar a Deus, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe, e que galardoador dos que O buscam" (Hebreus 11:6).

"Se confessarmos os nossos pecados a Deus, Ele é Fiel e Justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça." (1ª S.João 1:8,9).

"A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus O ressuscitou dos mortos, serás salvo, visto que com o coração se crê para a justiça e com a boca se faz confissão para a salvação. Porque todo aquele que invocar o Nome do Senhor será salvo." (Romanos 10:9,10,13).
8. A salvação de Deus é eterna
 
"Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a Minha Palavra, e crê nAquele que me enviou, TEM A VIDA ETERNA, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida" ( Evangelho S.João 5:24).
"Eu dou-lhes a Vida Eterna, e jamais perecerão, e ninguém os arrebatará da Minha Mão." (Evangelho de S.João 10:28).
"O que vem a Mim, de maneira nenhuma o lançarei fora." (S.João 6:37)
9. As consequências se rejeitar
 
"Aquele que não crê no Filho, não verá a vida, mas a Ira de Deus sobre ele permanece." (Evangelho de S.João 3:36).
"Aquele que não nascer de novo - não da carne, mas do Espírito - não pode ver o Reino de Deus." (Evangelho de S.João 3:3).

"Se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis." (S.Lucas 13:3)

"Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus Vivo" (Hebreus 10:31)

"Temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo" (Mateus 10:28).
10. Leia ainda estes versículos bíblicos
 
"Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho Unigénito para que todo aquele que nEle crê não se perca, mas tenha a Vida Eterna". (Evangelho S.João 3:16).
"Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a Minha Voz e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei e ele comigo". (Apocalipse 3:20).

"Eis aqui agora o tempo aceitável. Eis aqui o dia da salvação". (2ª Coríntios 6:2).

Uma palavra final

Como pode verificar, pelos trechos bíblicos transcritos, se orar sincera e humildemente a Jesus Cristo, arrependido dos seus pecados e crendo que Ele o(a) pode salvar agora, será salvo(a). Nada mais precisará de fazer. Cuidado com as religiões, quaisquer que elas sejam;confronte tudo com a palavra de DEUS, confie unicamente em Jesus Cristo e na Sua Palavra (a Bíblia).

Se desejar, pode orar da seguinte maneira (a sua oração deve prover de si próprio, com as suas palavras, sendo este um simples exemplo):

 
"Senhor Jesus, eu reconheço que sou um(a) pecador(a), mas estou arrependido(a) dos meus pecados, e peço-Te que me perdoes.
Creio em Ti e agradeço por teres levado o meu castigo, morrendo na cruz em meu lugar.
Desejo agora, sinceramente, receber-Te como Meu Salvador Pessoal. Dá-me a Tua salvação e o dom da Vida Eterna.
Em Teu Nome, Senhor Jesus, Te peço e agradeço. Amen."
.

Se fez esta oração (ou outra, com as suas palavras) com sinceridade, arrependido(a), está salvo(a). É Deus quem o garante:

"A todos quantos O receberam - ao Senhor Jesus - deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no Seu Nome" (S. João 1:12)

Que Deus o(a) abençoe.


VERDADES FUNDAMENTAIS PARA A " IGREJA DE CRISTO" NOS DIAS DE HOJE...



ALGUMAS VERDADES FUNDAMENTAIS EM QUE CREMOS

 
- A Bíblia Sagrada é a Palavra de Deus, inspirada verbalmente, infalível, única fonte de revelação e autoridade divinas (1), em particular o Novo Testamento, desde S.Mateus a Apocalipse, contém doutrina para a Igreja dos nossos dias (2).
2 - Há um só Deus (3), eternamente existente (4) em três Pessoas distintas: o Pai, o Filho (Jesus Cristo) e o Espírito Santo (5).

3 - A encarnação do Filho de Deus (o Verbo) foi real (6); a Sua concepção sem pecado (7) e o Seu nascimento de Maria virgem (8).

4 - A divindade do nosso Senhor Jesus Cristo é plena como a Sua humanidade (9), sendo por isso, verdadeiramente Deus (10) e verdadeiramente Homem (11) em uma mesma Pessoa.

5 - Jesus viveu uma vida isenta de pecado (12), nunca falhou e sempre obedeceu ao Pai (13).

6 - Os milagres que Jesus fez eram autênticos e provaram o Seu poder, o Seu Amor e que Ele era o Messias prometido (14).

- A morte do Senhor Jesus tem efeito vicário, expiatório, eterno, universal e abrangente desde Adão até ao último ser humano, pelo sangue que derramou (15), tendo sido apenas com esse propósito final que o Senhor Jesus veio ao mundo (16).

8 - A ressurreição do Senhor Jesus foi corporal (17), bem como a Sua ascensão ao Céu (18), onde está assentado à mão direita do Pai (19).

9 - A segunda Vinda do Senhor Jesus compreenderá duas fases: a primeira, em que Ele descerá do céu, ressuscitará os corpos dos que morreram em Cristo e arrebatará os crentes que estiverem vivos (20)

10 - O Espírito Santo é o único representante  de Cristo na Terra (23). Ele convence o pecador da sua situação de perdição, do pecado, da justiça e do juízo (24). Habita no verdadeiro crente em Cristo, ensina-o e consola-o (25).

11 - Todo o homem é pecador e está, por natureza, separado de Deus a caminho do Inferno, carecendo por isso de Salvação (26).

12 - A salvação é um dom de Deus, por isso, é gratuita, obtida unicamente mediante a fé no Senhor Jesus Cristo (27) e tem carácter eterno e total (28). Nunca ninguém, desde Adão, foi, é ou poderá ser salvo por qualquer outro meio, seja ele, obras, baptismo, ritos ou obediência à lei (29).

13 - O baptismo por imersão (30) é um mandamento do Senhor (31), exclusivamente para o crente salvo pela fé no Seu Sangue (32), e como todos os mandamentos, deve ser obedecido. É interdito aos incrédulos (33) e às crianças sem consciência das realidades espirituais (34).

14 - A Ceia do Senhor é a reunião de adoração por excelência, instituída pelo Próprio Senhor e é realizada em memória da Sua morte expiatória na cruz (35). Nela devem e só podem participar todos os crentes baptizados e em plena comunhão com todos os Irmãos (36).

15 - O crente salvo tem comunhão com Deus pela oração, através da mediação exclusiva do Senhor Jesus (37), recebendo, assim, o perdão dos pecados que Lhe confessar (38) e a resposta às petições que lhe fizer (39).

16 - Todos os verdadeiros crentes, salvos pela fé em Cristo, formam uma unidade indivisível, a Igreja, ou Corpo de Cristo (40), [que teve origem no dia de Pentecostes, com o baptismo do Espírito Santo (41)], independentemente da congregação a que pertençam ou do lugar onde se reúnam (42).

17 - O Homem, após a morte, não tem qualquer oportunidade de arrependimento para salvação (43) e só dois lugares possíveis o esperam: O Céu - se morreu salvo, ou o Inferno (Lago de Fogo) - se morreu sem Cristo (44).

18 - Todos os homens ressuscitarão: os salvos para a Vida eterna e os perdidos para a condenação eterna (45).

19 - Satanás, o Diabo, é um"Anjo Caído'" e não uma mera qualidade do mal (46), estando destinado a ser lançado no Lago de Fogo e de enxofre (47).

Referências bíblicas:

(1) 2Tm 3:16; 2Pe 1:20,21; 2Pe 3:21; Hb 4:12,13
(2) 2Tm 3:16,17; Mt 24:35
(3) Jo 17:3; 1Tm 2:5; Is 46:9,10
(4) Sl 90:2
(5) Mt 3:16; 28:19; 2Co 13:13
(6) Jo 1:14; Fp 2:7
(7) Mt 1:20
(8) Is 7:14
(9) Jo 8:58
(10) Jo 1:1; 20:28; Fp 2:6; 1Jo 5:20; 2Tm 2:5
(11) Jo 4:6
(12) Jo 8:46; Hb 4:15; 1Pe 2:22
(13) Jo 8:29; Jo 6:38; Mt 26:42
(14) Jo 5:36; Jo 4:25,26
(15) Rm 5:6,8,9; Ef 1:7; Cl 1:14; 1Jo 2:2; Jo 3:16; Mt 26:28
(16) Lc 19:10; 1Tm 1:15; Mt 17:22; Jo 12:23,24; Jo 18:36,37; Lc 24:25-27; 46,47; Jo 1:29; Jo 6:51-58; Rm 4:25; Gn 3:15; Sl 22; Isa 53:1-11; Dn 9:26; Sl 69:20,21
(17) Lc 24:1-7,34,36-43; Jo 20:27; 1Co 15:13-19
(18) At 1:9
(19) Mc 16:19; Rm 8:34
(20) 1Ts 4:16,17; 1Co 15:41,52; Jo 14:3
(21) Mt 24 e 25; Mc 13:26; At. 1:11; Ap 1:7; Ap 6-9; 11-13; 15-16; 19:11-21; 20:4; Dn 9:27; Lc 21:25-27
(22) At 3:21; Dn 9:27in fine
(23) Jo 14:16,18; 15:26; 16:7,13,14
(24) Jo 16:8-11
(25) Jo 14:16-18; 16:7,13
(26) Rm 3:23; Ef 2:1-5, 11,12; Rm 3:10; Jr 17:9,10; Rm 6:23; 1Jo 1:8
(27) Rm 5:1; Ef 2:8,9
(28) Jr 31:34; Mq 7:18; Jo 10:28,29; Jo 5:24; 1Jo 5:13; At 10:43: 1Jo 1:7; Rm 8:1
(29) At 10:34,35; 13:39; Lc.24:47; Hb 11:6; Rm 3:21-28; 4:4,5; Tg 2:10; Gl 2:16; Tt 3:5,7; Mc 5:34; Lc. 8:48; 17:19; 18:42; 23:41,43; Is. 64:6
(30) Mt 3:6; At 8:36
(31) Mt 28:19; Ef 4:5; At 18:8,9
(32) At 2:41; 8:12,13,36-38; 9:18; 10:48; 16:14;...
(33) At 8:36,37; 18:8
(34)
(35)
(36) 1Co 11:23-34
(37) Rm 8:34; Tt 2:5
(38) 1Jo 1:9
(40) 1Co 12:12,13; Ef 1:22,23
(41) At 2, Mt 16:18; Jo 10:16; At 5:11
(42) Jo 14:13,14; 16:23,24
(43) Hb 9:27; Lc 16:22-31
(44) Lc 16:19-31; cf ponto seguinte
(45) Jo 5:29; Ap 20:5, 10-13; Mt 25:46
(46) Jb 1:6; 2:1; Mt 4:10; Is 14:15; Jo 16:11
(47) Ap 20:10.
.



BIOGRAFIA DE JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA



 BIOGRAFIA DE JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA
 



Resumo


João Ferreira de Almeida
João Ferreira de Almeida (1628-1691), um português que recebeu a sua educação teológica na Holanda, empreendeu a primeira tradução do Novo Testamento para a língua portuguesa, a partir do original grego. Em 1670 a tradução estava concluída e onze anos depois foi publicada. João Ferreira de Almeida faleceu antes de completar a tradução de todo o Antigo Testamento do original hebraico. No entanto traduziu-o, de Génesis a Ezequiel, enquanto estava em Java (Indonésia). Em 1819 foi publicada a primeira edição da Bíblia em Português, de Génesis a Apocalipse, traduzida por João Ferreira de Almeida, sendo as versões revistas e actualizadas, posteriormente, as quais continuam a ser utilizadas pelos cristãos evangélicos de língua portuguesa.

A sua infância e juventude

João Ferreira de Almeida nasceu em 1628, em Torre de Tavares, concelho de Mangualde (Portugal). Filho de pais católicos, mudou-se para a Holanda, passando a residir com um tio e onde aprendeu o latim e se iniciou no estudo das normas da Igreja Católica.

Aos 14 anos, em 1642, aceitou a fé evangélica, na Igreja Reformada Holandesa, impressionado pela leitura de um folheto em espanhol, "Diferencias de la Cristandad", que tratava das diferenças entre as diversas correntes da crença cristã.

Em 1644, aos 16 anos, João Ferreira de Almeida iniciou uma tradução do espanhol para o português, dos Evangelhos e dos Actos dos Apóstolos, os quais, copiados a mão, foram rapidamente espalhados pelas diversas comunidades dominadas pelos portugueses. Para este grandioso trabalho, João Ferreira de Almeida também usava como fontes as versões latina, de Beza, francesa e italiana, todas elas traduzidas diretamente do grego e do hebraico. No ano de 1645, a tradução de todo Novo Testamento foi concluída; mas apenas seria editada em 1681, em Amsterdão.

Em 1648, relata J. L. Swellengrebel, um holandês que teve acesso às Actas do Presbitério da Igreja Reformada da Batávia e às Actas da Companhia Holandesa das Índias Orientais, João Ferreira de Almeida já desempenhava as funções de capelão visitante de doentes, em Malaca, Malásia, "percorrendo diariamente os hospitais e casas de doentes, animando e consolando a todos com as suas orações e exortações". Em Janeiro de 1649, foi escolhido como diácono e membro do presbitério. Nessa função tinha a responsabilidade de administrar o fundo social, que prestava assistência aos pobres. Durante os dois anos em que desenvolveu essa função, continuou a sua obra de tradução e, após a tradução do Novo Testamento, dedicou-se e traduziu o Catecismo de Heidelberg e o Livro da Liturgia da Igreja Reformada. As primeiras edições dessas obras foram publicadas em 1656 e posteriormente em 1673.

Em março de 1651, foi para a Batávia, para a cidade de Djacarta, ainda como capelão visitante de doentes, mas simultaneamente, desenvolvia os seus estudos de Teologia e revisava o Novo Testamento.

Em 17 de março de 1651, foi examinado publicamente, sendo considerado candidato a ministro. Depois de ser examinado, pregou com eloquência sobre Romanos 10:4. Desenvolveu também um ministério importantíssimo entre os pastores holandeses ensinando-lhes o português, uma vez que ministravam nas igrejas portuguesas das Índias Orientais Neerlandesas. Em setembro de 1655, João Ferreira de Almeida o exame final, quando prega sobre Tito 2.11-12, mas só recebeu a sua confirmação em 22 de agosto de 1656. Neste mesmo ano, quase um mês depois, em 18 de setembro, é enviado como ministro para o Ceilão, hoje Sri Lanka.

Perseguição, inquisição e obstáculos à publicação da tradução

Em 1657, João Ferreira de Almeida encontrava-se em Galle, no sul do Ceilão. Durante o seu ministério em Galle, assumiu uma posição tão firme contra o que ele chamava de "superstições papistas", que o governo local resolveu apresentar uma queixa a seu respeito ao governo da Batávia. Durante a sua estadia em Galle é que, provavelmente, conheceu e se casou com Lucretia Valcoa e Lemmes, ou Lucrecia de Lamos, jovem também vinda do catolicismo romano. O casal completou-se como família tendo dois filhos, um menino e uma menina, dos quais os historiadores não comentam mais nada. No decorrer da viagem de Galle para Colombo, Almeida e a sua esposa foram milagrosamente salvos da investida de um elefante.

A partir de 1658, e durante três anos, Almeida desenvolveu o seu ministério na cidade de Colombo e ali de novo enfrenta problemas com o governo, o qual tentou, sem sucesso, impedi-lo de pregar em português. O motivo dessa medida, estava provavelmente relacionado com as firmes e fortes idéias anti-católicas de João Ferreira de Almeida.

Em 1661, Almeida seguiu, no sul da Índia, onde ministrou o evangelho durante um ano, mas onde também foi perseguido. As Tribos da região negaram-se a ser baptizadas ou ter os seus casamentos abençoados por ele, pelo facto da Inquisição ter ordenado que um retrato de Almeida fosse queimado numa praça pública em Goa.

Em 1676, após ter dedicado vários anos a aprender grego e hebraico e a aperfeiçoar-se na língua holandesa, João Ferreira de Almeida concluiu a tradução do Novo Testamento para a língua portuguesa, passando a batalhar pela publicação do texto, já que para ter o aval do presbitério e o consentimento do Governo da Batávia e da Companhia Holandesa das Índias Orientais, o seu texto deveria passar pelo crivo dos revisores indicados pelo presbitério. Em 1680, quatro anos depois do início da revisão, desiludido com a morosidade da publicação, envia o seu manuscrito, para ser publicado na Holanda por conta própria. O seu desejo é que a Palavra de Deus seja conhecida pelo povo de língua portuguesa. Mas, o presbitério percebeu a situação e conseguiu sustar o processo, interrompendo a impressão.

Depois de alguns meses, quando João Ferreira de Almeida já estava prestes a desistir da publicação, recebeu cartas vindas da Holanda, informando que o texto tinha sido revisto e que estava a ser impresso. Em 1681, foi publicada a primeira edição do Novo Testamento de Almeida e, no ano seguinte, em 1682, chegou à Batávia. Quando começou a ser manuseada foram percebidos vários erros de tradução e revisão. Tal facto foi comunicado à Holanda e todos os exemplares que ainda não haviam saído foram destruídos, por ordem da Companhia Holandesa das Índias Orientais. As autoridades holandesas determinaram também que se fizesse o mesmo com os exemplares que já estavam na Batávia. Mas, ao mesmo tempo, providenciaram para que se começasse, o mais rapidamente possível, uma nova e cuidadosa revisão do texto. Apesar das ordens recebidas da Holanda, nem todos os exemplares foram destruídos, e correções foram feitas a mão com o objectivo de que cada comunidade pudesse fazer uso desse material. Um desses exemplares foi preservado e encontra-se no Museu Britânico em Londres. O trabalho de revisão e correção do Novo Testamento foi iniciado e demorou dez longos anos para ser terminado. Somente após a morte de João Ferreira de Almeida, é que essa segunda versão foi impressa, na própria Batávia, e distribuída.

A dedicação no final da vida

Apesar da sua saúde estar abalada, entregou-se ainda mais à tradução do Antigo Testamento. Um ano depois, em 1683, já havia traduzido o Pentateuco. João Ferreira de Almeida faleceu em Outubro de 1691, deixando a esposa e um casal de filhos.

Nessa altura, tinha traduzido o Antigo Testamento, para a língua portuguesa, até Ezequiel 48.21.

A tradução do Antigo Testamento foi completada em 1694 por Jacobus op den Akker, pastor holandês. Depois de passar por muitas mudanças, ela foi impressa na Batávia, em dois volumes: o primeiro em 1748 e o segundo, em 1753.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Um Cristão pode tirar e Ter Retratos ou Imagens de Pessoas?


Um cristão pode tirar e ter retratos ou imagens de pessoas?



Para falar de forma mais prática, se tomarmos o segundo mandamento de uma forma genérica, ou seja, considerando que as imagens de ali são faladas incluem toda e qualquer forma de imagem gerada pelo homem, então viveríamos em um dilema pois, a começar pela nossa sombra na parede, estamos continuamente gerando imagens de nós mesmos ou de parte de nosso corpo, como as impressões digitais para documentos ou mesmo as radiografias, ultrasonografia, fotografias para documentos, etc., coisas esta que seria uma loucura se as tomássemos como objetos de idolatria. Indo mais além, nossa consciências sentir‑se‑ia culpada todas as vezes que utilizássemos banheiros públicos ou outros serviços que são identificados por símbolos iconográficos.

O mesmo problema teríamos, como você citou, ao comprar qualquer produto que trouxesse alguma imagem do que há no céu, na terra ou nas águas debaixo da terra. O próprio fato de termos tais embalagens em nossos lares poderia deixar nossas consciências intranqüilas.

Ampliando um pouco mais este raciocínio, chegaríamos ao ponto de rejeitar, por exemplo, a Palavra de Deus se a mesma viesse escrita em japonês que, como todos sabem, é um idioma cuja escrita é formada por ideogramas, ou seja, imagens que transmitem uma idéia. Alguém que compreenda o japonês poderá lhe explicar que cada letrinha daquelas, tão complicadas para nós, é um conjunto de imagens. Lembro‑me apenas de uma palavra, se não me engano, "lar", cujo ideograma mostra claramente uma casinha com um hominho dentro.

Como pode perceber, a vida neste mundo atual viria a se tornar impraticável para um crente sincero que acreditasse que o segundo mandamento seja aplicado a imagens de uma forma generalizada (pois até o dinheiro que usamos tem imagens). Isso iria gerar, obviamente, um sem número de divisões entre os cristãos (como se já não as houvesse por outros motivos) como aqueles que excluiriam das restrições as radiografias, ou aqueles que não aceitariam apenas as embalagens, etc., etc.

A aplicação do segundo mandamento fora do seu contexto iria gerar confusões lamentáveis e lançaria muitos crentes em um mar de dúvidas e sentimentos de culpa, como tem feito uma seita existente no Brasil, cujos membros só aceitam fotografias para serem utilizadas em documentos. Muitos de nossos folhetos evangelísticos são recusados por pessoas de tal seita por conterem capas com fotografias. Essa seita já se dividiu em duas alas, uma que usa roupas de cores diferentes ou tecidos misturados e outra que não.

O contexto do mandamento indica claramente a confecção, posse e uso de imagens, de maneira geral, com fins de idolatria (não nego que uma foto possa ser usada para este fim). Se não fosse assim, por que Deus iria mandar o Seu povo fazer imagens ou esculturas como Ele mandou? É o caso de Êx 25.19,34; 26.31, ou das imagens que adornavam o Templo ao qual Deus deu a Sua aprovação, como vemos em 1 Rs 6.32,35; 7.20,22,25,29.

Até no futuro Templo, cuja descrição Deus revelou a Ezequiel, você encontrará imagens ordenadas por Deus, como querubins, palmeiras, leões e até um rosto de homem (Ez 41.19). Isso seria uma contradição da parte de Deus se não entendêssemos o verdadeiro significado do segundo mandamento. A mente espiritual não terá dificuldade em compreender que uma imagem e uma imagem usada em idolatria são coisas completamente distintas. Deus mandou fazer uma imagem de uma serpente de bronze, figura de Cristo (Nm 21.8; Jo 3.14), mas registrou nas Escrituras a destruição da mesma quando passou a ser utilizada como objeto de idolatria (2 Rs 18.4).

Uma imagem, qualquer que seja, quando tem por objetivo, ou mesmo quando traz o perigo, de idolatria deve ser rejeitada pelo cristão. Está bem claro que o anticristo fará bom uso das imagens, especialmente da imagem da besta, para enganar. Hoje milhões de pessoas são enganadas pelas imagens da TV e há muitos que estão imersos na idolatria moderna, buscando fotos de cantores ou artistas. A idolatria não é apenas a adoração de esculturas ou imagens, mas a colocação de qualquer coisa como objeto de nossa veneração, pois até coisas simples como o comer, beber e divertir‑se podem se tornar idolatria, como aconteceu com Israel (veja 1 Co 10.7). Mas nem por isso vamos deixar de comer.

Devemos, portanto, ser sábios em nosso andar neste mundo, não nos fazendo presa de uma interpretação errônea e não‑contextual da Palavra de Deus e nem nos deixando levar pelo espírito deste mundo que nos leva a adorar o que vemos. Há muitos cristãos que estão caindo em uma crassa idolatria e nem estão dando‑se conta do perigo. Refiro‑me à imensa multidão que vive em busca de sinais e maravilhas, coisas que possam ver, esquecendo‑se que o "justo viverá da fé" que é "a prova das coisas que se não vêem" (Rm 1.17; Hb 11.1). "Porque andamos por fé e não por vista" (2 Co 5.7).

O absurdo de se andar "baseando‑se em visões" (Cl 2.18 V.Almeida Atualiz.) tem levado muitos a crerem em pessoas que dizem terem sido levadas ao inferno pelo diabo e descrevem, diante de seus eletrizados auditórios, tudo o que o diabo teria mostrado ali. Basta um pouco de conhecimento da Palavra para sabermos que o único que tem a chave do inferno é o Senhor Jesus, e não o diabo (Ap 1.18) e que se o diabo nos mostrar alguma coisa podemos estar certo de que é mentira (Jo 8.44; 2 Co 2.9).
Fonte:http://www.respondi.com.br/2005/06/um-cristo-pode-tirar-e-ter-retratos-ou.html   

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

LIXOLOGIA DA PROSPERIDADE!!!


 PROSPERIDADE!!!


Este livro O Peregrino,"livro profético" , com forte embasamento Bíblico, creio que não seja coincidência, que cita esses personagens que
são    O "Interesse próprio"...".Amor ao dinheiro"...."Avareza"....'Amor ao Mundo"....Preste Atenção em suas edeologias....


Abaixo segue um trecho do famoso livro O Peregrino de John Bunyan. Neste capítulo Cristão e Esperança se deparam com Interesse-Próprio e seus companheiros: Apego-ao-Mundo, Amor-ao-Dinheiro e Avareza.

Sugiro fortemente a leitura e aviso:
QUALQUER SEMELHANÇA NÃO É APENAS COINCIDÊNCIA!


Vi, então, no meu sonho, que Cristão e Esperança o abandonaram, conservando-se ambos a certa distância na sua frente. Um deles, olhando para trás, viu três homens que seguiram Interesse-Próprio, o qual cumprimentou respeitosamente quando eles se aproximaram, recebendo em troca afetuosas saudações. Eram estes três recém-chegados os senhores Apego-ao-Mundo, Amor-ao-Dinheiro e Avareza, antigos conhecidos de Interesse-Próprio, que juntamente com ele freqüentavam a escola do senhor Cobiça, na cidade de Amor-ao-Ganho. Esse sábio professor ensinara-lhes a arte de adquirir, tanto pela violência, pela fraude, pela adulação e pela mentira, como sob o pretexto de religião, e todos os quatro tinham aproveitado com as lições, a ponto de poder qualquer deles tomar sobre si o encargo de reger a escola.
Depois de se haverem saudado reciprocamente, como já disse, Amor-ao-Dinheiro perguntou a Interesse-Próprio quem eram os que iam na frente, pois ainda avistava ao longe Cristão e Esperança.

Interesse-Próprio – São dois habitantes dum país longínquo, que vão peregrinando a seu modo.

Amor-ao-Dinheiro – Que pena é não se terem demorado mais um pouco, para podermos gozar da sua boa companhia, porque todos somos peregrinos!

Interesse-Próprio – É verdade; mas aqueles são tão rígidos, amam tanto as suas idéias, e têm tão pouca consideração pelas de outrem, que, por mais piedoso que seja, ninguém lhes agrada se não pensa como eles, e logo se apartam da sua companhia.

Avareza – Isso é mau; mas há muitos exemplos de pessoas demasiado justas, cuja rigidez os faz julgar e condenar a todos, exceto a si próprias. Quais eram, então, os pontos em que divergiam as suas opiniões?

Interesse-Próprio – Eles asseguram, na sua inflexibilidade, que devem prosseguir em seu caminho contra todos os demais, enquanto eu quero esperar o vento e a maré; eles não duvidam arriscar tudo por Deus, e eu desejo aproveitar-me de todas as ocasiões para assegurar a minha segurança e os meus bens; eles empenham-se em sustentar as suas idéias, ainda que estejam em oposição às de todo o mundo, e eu sigo os preceitos da religião enquanto e até onde permitem os tempos e a minha própria segurança; eles estimam a religião, ainda que seja pobre e desgraçada, eu estimo-a quando ela anda com esplendor e com aplauso.

Apego-ao-Mundo – Tendes vós muita e muita razão. Pela minha parte, considero muito tolo aquele que, podendo guardar o que tem, é tão néscio que o deixa perder. Sejamos sábios como serpentes e ceifemos a erva em tempo próprio. A abelha conserva-se imóvel durante o inverno, e só aparece quando pode reunir o proveito com prazer. Deus manda o sol e a chuva, alternadamente. Se eles querem andar à chuva, deixemo-los, e vamos nós andando com o bom tempo. Pela minha parte, prefiro a religião que seja compatível com a posse e com as dádivas de Deus. Pois se Deus nos concedeu as coisas boas da vida, quem será tão destituído de razão que possa imaginar que o Senhor não quer que as conservemos e guardemos por causa dele? Abraão e Salomão enriqueceram – na sua religião. Jó diz-nos que o homem bom entesourará ouro como pó. Mas, por certo, não seria assim com esses que vão aí adiante, se efetivamente são como vós dizeis.
[...]

Interesse-Próprio – Amigos, pelo que se vê, todos somos peregrinos, e, para melhor nos apartarmos das coisas más, permitam-me que lhes proponha uma questão. Suponhamos que um pastor de almas, ou um comerciante, a quem se apresentasse a ocasião de possuir as boas coisas desta vida, mas que não pudesse alcançá-las de modo algum sem que fizesse, pelo menos na aparência, extraordinariamente zeloso em algum ponto da religião, com que até então se não houvesse importado muito; não lhe será permitido empregar os meios necessários para obter o seu fim, sem por isso deixar de ser homem honrado?

Amor-ao-Dinheiro – Vejo o fundo da vossa questão, e, com o amável consentimento destes cavalheiros, vou dar-vos uma resposta, que considerarei primeiro em relação ao pastor. Imaginemos um homem desta classe, um homem bom, que possui um benefício muito pequeno, e que, na expectativa de outro mais cômodo e mais rendoso, tem ensejo de obter, com a condição de ser mais estudioso, de pregar mais e com maior zelo; apesar das opiniões contrárias, eu não vejo razão alguma para que este homem não possa fazer isso e ainda muito mais, uma vez que tenha ocasião, e sem deixar de ser homem honrado. E por que?
1º) Desejar um benefício melhor é lícito, sem a menor contradição, posto que seja a Providência que o depara; e assim pode obtê-lo se isto está ao seu alcance e não se prende com questões de consciência.
2º) Além do que, o desejo desse benefício torna-o mais estudioso e mais zeloso pregador, obriga-o a cultivar mais o seu talento, tudo o que é, sem dúvida, muito em conformidade com a vontade de Deus.
3º) Quanto a acomodar-se ao caráter do seu povo, deponho em suas asas alguns dos seus princípios, isto supõe: a) que é dotado dum espírito cheio de abnegação; b) de proceder doce e atrativo; c) que é mais apto, portanto, para o ministério pastoral.
4º) Deduzo, pois, que um pastor, que troca um benefício pequeno por outro maior não deve ser alcunhado de avarento. Antes, pelo contrário, deve considerar-se que não faz senão seguir a sua vocação e aproveitar-se da oportunidade de fazer o bem que se lhe depara.
Quanto à segunda parte da questão, isto é, com referência ao negociante, suponhamos que o seu negócio é muito reduzido, mas que, tornando-se religioso, pode melhorar de sorte, encontrando talvez uma esposa rica, ou maior número de fregueses. Quanto a mim não vejo razão alguma para que isto não possa fazer-se com lisura; porque,
1º) tornar-se religioso é uma virtude, qualquer que seja o caminho que se siga para o realizar;
2º) também não é ilícito procurar uma esposa rica ou mais e melhores fregueses;
3º) além do que, o homem que alcança estas coisas fazendo-se religioso, obtém uma coisa boa de outras igualmente boas, e torna-se a si mesmo bom; consegue muitas coisas boas, boa esposa, bons fregueses, bons ganhos, e torna-se bom. Logo, fazer-se religioso para obter todas estas coisas é uma tentação boa e de proveito.

Estas palavras de Amor-ao-Dinheiro foram muito aplaudidas por todos, concluindo-se unanimemente que tal doutrina era sã e vantajosa.
E, como lhes parecia que não podia ser contestada, resolveram apressar o passo para proporem a questão a Cristão e Esperança, [...]
Cristão respondeu nestes termos:

Cristão - Não só eu, mas qualquer novato em religião poderia facilmente responder a mil perguntas como essa; se é ilícito seguir a Cristo por causa dos pães, como se vê em João 6:26, quanto mais abominável será servir-te de Cristo e da religião como meio para conseguir e gozar as coisas do mundo! Só os gentios, os hipócritas, os demônios e os feiticeiros poderão aceitar semelhante opinião.
1°) Os gentios: Quando Hamor e Siquém quiseram possuir as filhas e os gados de Jacó, e viram que não havia outro meio para conseguir senão deixarem-se circuncidar, disseram aos seus companheiros:”Se todos os nossos varões se circuncidarem, como eles fazem, todos os seus gados e toda a sua fazenda serão nossos”. (Leia-se toda a história em Gênesis 34:20-24) O que eles buscavam eram as filhas e os gados de Jacó. A religião era apenas o meio de obterem o seu fim.
2º) Os fariseus hipócritas também foram religiosos deste gosto. Grandes orações eram entre eles o pretexto para devorarem a casa das viúvas, e por isso o resultado foi maior condenação da parte de Deus (Lucas 20:46-47).
3º) Tal era também a religião de Judas. Este demônio era religioso pela bolsa e pelo que ela continha; mas perdeu-se e foi expulso como filho da perdição.
4°) Nesta religião estava também filiado Simão Mago, porque queria possuir o Espírito Santo para ganhar dinheiro; mas recebeu da boca de Pedro a merecida sentença (Atos 8:18-23).
5º) Também não posso deixar de dizer que todo aquele que toma a religião para possuir o mundo, a deixará, se necessário for, para não abandonar este; pois é tão certo que Judas se fez religioso por causa do mundo como é certo que pela mesma causa vendeu sua religião e o seu Senhor. Responder afirmativamente à questão que opusestes, como me parece que vós tendes respondido, e aceitar essa resposta como boa é ser pagão, hipócrita e filho da perdição, e assim a vossa recompensa será condigna com as vossas obras.
Ouvindo este discurso, ficaram os falsos peregrinos sem saber o que haviam de replicar. Então Cristão disse para o seu companheiro: Se estes homens não podem sustentar-se ante a sentença do homem, o que será quando se apresentarem no tribunal de Deus? Se os vasos de barro os fazem calar, o que será quando forem repreendidos pelas chamas dum fogo devorador?


Fonte: voltemosaoevangelho

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Glória de quem?


Glória de quem?


Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.
                                      2 Coríntios 3:18

Após o milagre da ressurreição de Lázaro, seis dias antes da páscoa, Jesus foi a Betânia e Lázaro era um dos que participavam da ceia com Jesus. Ele ficou ainda mais conhecido, pois todos os que ouviam falar, do que ressuscitara dentre os mortos, buscavam ver a Lázaro e não só a multidão que o testificava creram em Jesus, mas também muitos judeus e isso fez com que os principais dos sacerdotes decidissem matar também a Lázaro.

No dia seguinte, quando Jesus desceu a Jerusalém, uma grande multidão foi ao seu encontro:

Tomaram ramos de palmeiras, e saíram-lhe ao encontro, e clamavam: Hosana! Bendito o Rei de Israel que vem em nome do Senhor.

Logo, os fariseus estavam preocupados, pois que o povo já o chamava de Rei e iam após ele, até mesmo alguns gregos dirigiam-se a Filipe, de Betsaida da Galiléia, rogando-lhe: Senhor, queríamos ver a Jesus. ( Jo 12.21)


22. Filipe foi dizê-lo a André, e então André e Filipe o disseram a Jesus.

23. E Jesus lhes respondeu, dizendo: E chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado.



24. Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.


Jesus sabia que era chegada a sua hora de ser glorificado e sua alma perturbou-se pois sabia que teria de, ainda que por um 'breve momento' diante da grandeza do ato, ser morto para que toda aquela multidão, que ainda, apesar de ver os milagres e ter acabado de ouvir a voz do próprio Deus, não criam nele, mas Jesus sabia que para isso tinha vindo e que era necessário que fosse assim para que se cumprisse o que diziam as escrituras, não só por amor deles, mas também por amor de nós, os que cremos por ouvir a pregação do evangelho.

27. Agora a minha alma está perturbada; e que direi eu? Pai, salva-me desta hora; mas para isto vim a esta hora.

28. Pai, glorifica o teu nome. Então veio uma voz do céu que dizia: Já o tenho glorificado, e outra vez o glorificarei.

29. Ora, a multidão que ali estava, e que a ouvira, dizia que havia sido um trovão. Outros diziam: Um anjo lhe falou.

30. Respondeu Jesus, e disse: Não veio esta voz por amor de mim, mas por amor de vós.

31. Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo.

32. E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim.



33. E dizia isto, significando de que morte havia de morrer.


Não basta crer, temos de confessá-lo, muitos dos principais creram, mais não o confessaram pois tinham medo de serem expulsos das sinagogas, assim acontece conosco, do que temos medo? De onde não queremos sermos expulsos? Quais 'vantagens' não queremos perder? Se é que, há algo de bom que poderemos reter desta vida,  o porque do apego, Jesus respondeu a causa:

43.Porque amavam mais a glória dos homens do que a glória de Deus.

A bíblia nos ensina que somos transformados de glória em glória, refletindo como um espelho essa glória que o Nosso Senhor Jesus conseguiu lá na cruz, pelo Espírito do Senhor, isso não vem de nós, no momento presente é um reflexo, mas Jesus nos garantiu que quando Ele vier nos levará com Ele para que também aonde Ele estiver, estejamos.

Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória. Colossenses 3:4

Devemos buscar a mortificação de nossas vontades, desejos, concupiscências da vida, não somente no momento da nossa conversão, mas sim, diariamente, como nos alertou o apóstolo Paulo, buscando as coisas do alto, onde Jesus está assentado, nos revestindo do novo homem, segundo a imagem de Cristo, já estamos mortos para este mundo e em Cristo já ressuscitados, com nossas vidas escondidas em Deus por Cristo, aguardando a Sua Vinda que nos livrará do corpo dessa morte. Mas para que a Vinda de Jesus se dê, ainda é necessário que o Evangelho do Reino seja pregado a toda a gente, e isso depende, unica e exclusivamente de mim e de você, que, em Cristo, pode testemunhar da Vida Eterna que só Ele pode dar, a mesma que você recebeu. 

Testemunhar, assim como aquela multidão que viu Lázaro ressurreto, a ponto de fazer com que os principais do povo temessem que Jesus quisesse tomar lugar de rei, a solução encontrada por eles seria matá-lo. Mas não pense que com você não pode acontecer isso, é natural que haja perseguições, impedimentos e exclusões, como era o caso dos que temiam serem expulsos das sinagogas, mas tome uma decisão acertada entre Jesus ou o mundo, glória dos homens ou glória de Deus, porque de nada adianta servir a Jesus em secreto ou até mesmo em temor de homens, porque Jesus disse:

25.Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo odeia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna.

Odiar a sua vida aqui, é simplesmente reconhecer que é pecador e se arrepender de seus pecados, aceitar a Cristo não só como Salvador e receber a vida eterna, mas como Senhor e servi-lo de todo o coração, obedecendo suas palavras, cumprindo seu "ide", isso não te dará a Salvação, Cristo a dá, isso mostrará ao mundo o senhorio de Cristo em tua vida, para testemunho para os que ainda não conhecem a Jesus, receber a Cristo como Senhor é deixar de ser escravo do pecado e odiar a sua vida para guardá-la para a vida eterna. Porque das duas, uma, ou se é escravo do pecado e o senhor da sua vida, neste caso, é Satanás, porque Deus entregou a ele o governo deste mundo, ele é o príncipe deste século, por isso Jesus não veio para ser Rei nesta terra, pois Ele é o Rei da Glória e isso se cumprirá no fim dos tempos;

Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória.Salmos 24:7


Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, e eleitos, e fiéis.Apocalipse 17:14

E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores.Apocalipse 19:16


os judeus esperavam um Messias como rei, por isso não creram, mas a incredulidade deles se deu para proveito da nossa salvação, pois sempre foram incrédulos, mas pela misericórdia demonstrada a nós gentios, um remanescente de Israel ainda será salvo, todos os que não crerem já estão condenados a morte eterna, juntamente com Satanás e seus anjos, ou, se é livre através do sangue derramado por Jesus na cruz por aspersão de nossos pecados, paga da nossa dívida com Deus, sendo tornados justos (justificados) nos dando o poder de sermos feitos filhos de Deus, para a Vida Eterna.

Colossenses 3

12. Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade;

13. Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.

14. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição.


A escolha é nossa, não podemos servir a dois senhores, e agradar aos dois...a quem estamos agradando?

Que o Senhor nos abençoe nesta escolha!