segunda-feira, 9 de maio de 2011

NÃO era pra eu prosperar depois de convertido...?


Não era para eu prosperar depois de convertido?

Quando você lê a Bíblia, percebe até uma distinção grande entre o Antigo e o Novo Testamento. No primeiro, as promessas de bênçãos eram materiais: esposa, filhos, terras, gado, ouro e prata. No segundo, o principal protagonista, o Homem perfeito, não tinha onde recostar a cabeça, era alimentado por mulheres que o ajudavam e, quando foi indagado se era certo pagar impostos, precisou pedir emprestado de alguém uma moeda porque ele mesmo provavelmente não tinha. Quando morreu, seu espólio não passou da roupa do corpo.

Então, quando você lê as cartas de Paulo percebe que parece ter alguma coisa errada, pois aquele que foi o cristão mais prominente do início da Igreja levou uma vida péssima do ponto de vista físico e material. Em 2 Coríntios 11 ele conta seus percalços:

"São ministros de Cristo? ( Falo como fora de mim. ) Eu ainda mais: emtrabalhos, muito mais; em açoites, mais do que eles; em prisões, muito mais; em perigo de morte, muitas vezes. Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um; três vezes fui açoitado com varas, uma vez fuiapedrejadotrês vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei noabismo; em viagens, muitas vezes; em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, emperigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigosentre os falsos irmãos; em trabalhos e fadiga, em vigílias, muitas vezes, emfome e sede, em jejum, muitas vezes, em frio e nudez. Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas.... Em Damasco, o que governava sob o rei Aretas pôs guardas às portas da cidade dos damascenos, para me prenderem, e fui descido num cesto por uma janela da muralha; e assim escapei das suas mãos".

Tudo isso sem contar o "espinho na carne, mensageiro de Satanás" (2 Co 12:7), e sua aparência provavelmente repulsiva. Gl 4:14: "Embora a minha doença lhes tenha sido uma provação, vocês não me trataram com desprezo ou desdém".

Agora eu pergunto: Como Paulo podia se considerar abençoado com uma vida assim? Simplesmente porque as bênçãos prometidas ao cristão não são bênçãos físicas ou terrenas, mas celestiais. E quanto a estas, não falta uma que não nos tenha sido dada. Ef 1:3 "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com TODAS AS BÊNÇÃOS ESPIRITUAISnos lugares celestiais em Cristo". Essas bênçãos não são na terra de Israel, como no Antigo Testamento, mas nos lugares celestiais.

João 16:33 diz que no mundo teríamos aflições, e é essa a porção do cristão no que diz respeito a este mundo. Quando não temos aflições aqui, ou somos agraciados com família e bens, só temos a agradecer a Deus porque isso na verdade não são bênçãos, são misericórdias, pois são coisas totalmente contrárias à corrente na qual o cristão está em seu caminho para o céu.

O que podemos esperar deste mundo senão rejeição e sofrimento? Foi assim com a peregrinação dos hebreus no deserto, onde só eram alimentados pelo maná que vinha do céu e pela água que saía da Rocha. Do deserto mesmo eles não podiam tirar coisa alguma. Além disso não faltavam inimigos, como não faltam hoje ao cristão, conforme o Senhor revela em sua oração:

Jo 17:14-16 "Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou".

Ao contrário do que prometem esses pregadores da prosperidade por aí, esse mundo não é um lugar feliz para o cristão, embora possa ser às vezes por pura misericórdia de Deus. Então como o cristão pode ser feliz em um lugar infeliz? Andando na certeza de que o Senhor cuida dele, como Paulo: "Já aprendi acontentar-me com o que tenho. Sei estar abatido e sei também ter abundância; em toda a maneira e em todas as coisas, estou instruído, tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter abundância como a padecer necessidade".

Você acha que Paulo teria preferido outra vida àquela que o Senhor lhe deu depois de convertido? Ele certamente teria mais vantagens físicas e materiais de todos os tipos se tivesse permanecido um fariseu incrédulo. Porém, onde ele estaria hoje?

PODEMOS AMAR OS Bens Materiais...???


Pare e pense

NÃO TENHO TUDO O QUE AMO, MAS...
Por Hermes C. Fernandes

Há uma frase encontrada em muitos adesivos de carro que diz: “Não tenho tudo o que amo, mas amo tudo o que tenho”. Pode parecer um algo inocente, e até coerente, mas no fundo expressa um dos maiores mal-entendidos da história humana. Trata-se da coisificação do amor.

As coisas estão aí para serem usadas, e não amadas. Enquanto que as pessoas deveriam ser amadas, em vez de usadas. Portanto, há aí uma inversão de valores. Esse tipo de amor é completamente antagônico ao tipo de amor apresentado nas Escrituras. Não devemos investir afeição demasiada naquilo que possuímos, posto que tudo isso é passageiro. Somente o amor às pessoas é maior do que a morte, sobrevivendo a ela.[1]

Pelo fato da alma humana ser eterna, seu amor deve ser devotado a algo igualmente eterno. Razão pela qual o apóstolo João nos alerta: “Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele (...) Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”.[2]

Em vez de amar as coisas deste mundo, devemos e podemos usá-las, sem jamais abusar delas,“pois a aparência deste mundo passa”.[3]

Não devemos usar pessoas para alcançar as coisas que amamos. Devemos, sim, usar as coisas para beneficiar as pessoas que amamos. Como disse John Piper,“dedicar sua vida a confortos e prazeres materiais é como jogar dinheiro pelo ralo. Investir a vida no esforço do amor rende dividendos de amor insuperáveis e intermináveis”. E mais: “Há mais felicidade em amar do que em viver no luxo!”[4] E ele arremata: “Os prazeres mais profundos e satisfatórios que Deus nos dá pela criação são dádivas gratuitas da natureza e de relacionamentos amorosos com pessoas”.[5]

AMANTES DO DINHEIRO OU SERVOS DE MAMON...???




Mamon




Mamon de Collin de Plancy
Mamon é um termo, derivado da Bíblia, usado para descrever riqueza material ou cobiça, na maioria das vezes, mas nem sempre, personificado como uma divindade. A própria palavra é uma transliteração da palavra hebraica "Mamom" (מָמוֹן), que significa literalmente "dinheiro". Como ser, Mammon representa o terceiro pecado, a Ganância ou Avareza, também é um dos sete princípes do Inferno. Sua aparência é normalmente relacionada a um nobre de aparência deformada, que carrega um grande saco de moedas de ouro, e "suborna" os humanos para obter suas almas. Em outros casos é visto com uma espécie de passáro negro (semelhante ao Abutre), porém com dentes capazes de estraçalhar as almas humanas que comprara.

[editar]História

Na era pré-cristã, conforme sabemos, eram cultuados muitos deuses. Mamon, contudo, não era o nome de uma divindade e sim um termo de origem hebraica que significa dinheiro, riqueza, ou bens materiais. Jesus, no Evangelho, utiliza a palavra quando afirma que não é possível servir simultaneamente a Deus e a Mamon (Lucas 16:13). A palavra, no texto original, também é citada no Evangelho de Mateus:
"Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem traça nem ferrugem corroem e onde ladrões não minam nem roubam: Para onde está o teu tesouro, aí estará o seu coração também.
"Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas. (Mateus 6:19-21,24)
Desta forma Mamon acabou por tornar-se, ao longo da história, e devido as diversas traduções da Bíblia, a representação de uma divindade maligna ou demônio.
O dicionário Webster da língua inglesa define "Mammon" ou "Mann" ou "Matmon" ou "Mammonas" ou "Matmel" como: 1) o falso deus da riqueza e da avareza. 2) riquezas considerado como um objeto de culto e seu exercício ganancioso; riqueza como um mal, mais ou menos personificado[1]. Winston a define como: 1) riqueza, ganho mundano; 2) cobiça de riquezas; cupidez[2]. Oxford define: deus da fortuna, que é considerado mau ou imoral; 'aqueles que cultuam Mammon' são equivalentes a pessoas gananciosas por dinheiro[3].




































terça-feira, 3 de maio de 2011

Relíquias de João Paulo II já são veneradas na Polônia



ATÉ QUANDO...??? OS RELIGIOSOS , VÃO CONTINUAR SE ENGANANDO E A ""ENGANAR""...??? PRATICANDO HERESIAS...


Czestochowa – Mesmo antes da beatificação do Papa João Paulo II em 1º de maio no Vaticano, seu cinto, perfurado por uma bala e manchado de sangue durante o atentado de 1981, é venerado como uma relíquia no santuário mariano de Jasna Gora, na Polônia Católica.
“Formalmente, é preciso esperar até o dia 1º de maio e a beatificação para que o cinto seja considerado uma relíquia. Mas, para os peregrinos já é um objeto de culto”, explicou à AFP o padre Jan Golonka, encarregado dos ex-votos oferecidos pelos fiéis por décadas.
“Tivemos muita sorte, pois o próprio João Paulo II nos ofereceu seu cinto. Os outros que queriam ter suas relíquias tiveram que passar pelo Vaticano, através de um procedimento muito complicado”, explicou.
Segundo ele, o Vaticano não prevê tirar relíquias dos restos do Papa, pelo menos não de imediato, apesar de a demanda ser enorme.
Depois do atentado cometido pelo turco Ali Agca, João Paulo II havia guardado no Vaticano seu cinto e uma das três balas que quase o mataram. Em 1982, deu os objetos de presente ao Santuário de Fátima e um ano mais tarde, durante uma viagem à Polônia, o cinto foi depositado no Santuário de Jasna Gora, como ex-voto ante a Virgem Negra por ter salvado sua vida, explicou o sacerdote.
“Apenas em 2004, o papa concordou que fosse exposto para os fiéis. Foi colocado no relicário, atrás de um cristal, junto à Virgem Negra”, acrescentou o padre Golonka.
Os monges paulinos de Jasna Gora não são os únicos na Polônia que dispõem de tais tesouros. O cardeal Stanislaw Dziwisz, arcebispo da Cracóvia e ex-secretário do papa, guarda uma ampola com sangue do papa polonês.
O objeto foi entregue por médicos. Esta ampola será enviada no dia 11 de junho ao Centro João Paulo II em Lagiewniki, no subúrbio da Cracóvia, não muito distante do canteiro de obras onde o papa trabalhou como operário durante a Segunda Guerra Mundial.
O cardeal Dziwisz ofereceu uma gota do sangue papal ao piloto de Fórmula 1 polonês Robert Kubica (Lotus Rénault), gravemente ferido em um acidente na Itália, para curá-lo.
Acredita-se que as irmãs do Sagrado Coração também obtiveram sangue de João Paulo II, bem como uma mecha de seus cabelos, disse o escultor polonês Czeslaw Dzwigaj, professor de arte sacra na Academia Papal da Cracóvia.
Dzwigaj é o autor de um altar e de um relicário da igreja desta congregação na Cracóvia, mas ainda não viu as relíquias que serão depositadas ali depois da beatificação.
Em Jasna Gora, os monges expuseram mais de cem objetos do papa como batinas, seu solidéu branco, rosários, seu anel, bem como outras peças de uso cotidiano como um copo de cristal, um prato e até uma toalha de banho.
“Todos esses objetos já são relíquias para os fiéis. Não podemos esquecer que o papa os tocou e os levou consigo. São verdadeiras relíquias de João Paulo II”, explicou Marek Socik, quem preparou a exposição.
Correio Braziliense

Sangue do papa será venerado

Categoria: Mundo
Uma ampola com o sangue do falecido papa João Paulo II será exposta aos fiéis no dia da cerimônia de sua beatificação, que ocorrerá no próximo domingo.
Segundo o Vaticano, o sangue foi extraído de Karol Wojtyla nos seus últimos dias de vida, como provisão para eventuais transfusões que fossem necessárias. Como não houve necessidade, a amostra ficou guardada em quatro recipientes.
Dois deles foram conservados no Hospital Menino Jesus pelas freiras da instituição. Outros dois ficaram sob a responsabilidade do secretário particular de João Paulo II, o cardeal Stanislaw Dziwisz, atual arcebispo da Cracóvia.
Segundo a Santa Sé, as amostras ainda estão em estado líquido porque foi usado um anticoagulante logo após a extração. A ampola será colocada em um relicário feito especialmente pelo Escritório de Celebrações Litúrgicas.
Antes da cerimônia de beatificação seu corpo será exumado para permanecer até 1º de maio na Cripta Vaticana, diante do túmulo de São Pedro, em uma maca e coberto por um manto branco.
Após a exposição de seu corpo, coberto, o caixão de Wojtyla será transferido do cemitério papal, a Gruta do Vaticano, na Basílica de São Pedro, para a Igreja de São Sebastião. O falecido pontífice será então colocado em um vão fechado com uma lápide simples de mármore, com a escrita em latim: Beatus Ioannes Paulus II.
A beatificação de João Paulo II ocorre após um inquérito feito pelo Vaticano, que atribuiu a ele um milagre (a cura de uma freira francesa que sofria de Parkinson) após sua morte, em 2005.
Segundo as regras rígidas da Igreja sobre os santos, o procedimento para determinar se os milagres podem ser atribuídos à pessoa em questão não é normalmente iniciado pelo menos até cinco anos após a sua morte.
Fonte: Jornal da Tarde...
...................................................................................................................................
RELÍQUIAS....??? PORQUE...??? A PALAVRA DE DEUS NOS DIZ EM  1-TIMÓTEO 02:05  PORQUE HÁ UM SÓ DEUS E UM SÓ MEDIADOR ENTRE DEUS E OS HOMENS,JESUS CRISTO HOMEM,
ESTE BLOG REPUDIA ESSE TIPO DE ATITUDE DA IGREJA CATÓLICA...ESSE TIPO DE VENERAÇÃO...E IDOLATRIA DO CATOLICISMO,QUE CONTRARIA E SOLAPA AS ESCRITURAS (PALAVRA DE DEUS).