quinta-feira, 21 de abril de 2011

Angeologia - Demonios e a Queda de Sátanas...


ANGELOLOGIA - DEMONIOS E A QUEDA DE SATANÁS


 ANJOS CAÍDOS "DEMÔNIOS" 

Os anjos foram criados perfeitos e sem pecado, como o homem, dotado de livre 

escolha. Sob a influência de satanás, muitos pecaram e foram lançados fora do céu (II Pe. 2.4). Segundo as Escrituras temos a ideia de que esses anjos estão, parte presos em cadeias eternas (II Pe. 2.4) e parte nos lugares celestiais (Ef. 6.12). Haverá um tempo - na grande tribulação - que eles serão expulsos dos lugares celestiais para operarem na terra (Ap. 12.9).  Um dia os salvos irão julgá-los (I Co. 6.2,3). O destino deles é o inferno (Mt. 25.41). 


1 – As Escrituras dão testemunho da sua existência
 (Mt. 12.26-28). 
Os demônios são seres espirituais e chamados de espíritos imundos (Mc. 9.25). Nos Evangelhos eles aparecem possuindo corpos tanto de homens como de animais (Lc. 8.29,30; Mc. 16.9; Mc. 5.12,13). A pessoa possuída por um demônio é chamada de endemoninhado (Mt. 4.24). Quando a pessoa é possuída por muitos demônios, se diz que tem uma legião (Lc. 8.29,30).
2 - Os demônios podem ocasionar os seguintes efeitos numa pessoa:
a) loucura (Mc. 5.2-5)
b) mudez (Mt. 9.33)
c) cegueira (Mt. 12.22)
d) algumas outras enfermidades (Lc. 13.11-13).
É importante observar que nem todas as enfermidades são conseqüências de demônios.

3 - Os demônios lutam para fazer uma pessoa se desviar da fé (I Tm 4.1):
a) Eles são parte das potestades malignas que o crente tem que lutar (Ef. 6.12).
b) Eles lutam constantemente, pois são inimigos dos homens em geral, principalmente, dos crentes e desviados (Mt. 12.43-45).
c) O desviado pode ficar endemoninhado, mas o verdadeiro crente em comunhão não, porque estão cheios do Espírito Santo (II Co. 6.15,16).
d) O crente verdadeiro sofrerá sua influência se der lugar e não vigiar (Mt. 16.23; II Co. 11.3).
e) O verdadeiro crente tem poder sobre os demônios (Lc. 10.19).
f) Os demônios são expulsos em nome de Jesus (Mc. 16.17).
g) Para expulsá-los o crente precisa ter autoridade advinda da comunhão contínua com Deus, para não ficar envergonhado (At. 19.11-16).

4 - Causas do endemoninhamento:
a) Idolatria – adorar falsos deuses é o mesmo que adorar demônios (I Co. 10.19-21; Ap. 9.20).
b) Adivinhação (At. 16.16-18).
c) Praticas de encantação (At. 13.8-11).
d) Consagração aos serviços.
d) Pecados de modo geral: prostituição, drogas, álcool, etc.

SATANÁS  -  “um anjo caído”
Satanás existe? (Lc. 22.31,32).
Cristo ensinou sobre a sua existência (Mt. 13.39).

1 - Sua identidade - um ser maligno com todas as características de uma pessoa

2 - Seu serviço - fazer oposição a Deus e acusar os homens.
Ele no AT conservava um relativo acesso a Deus, para denunciar os servos de Deus (Zc. 3.1,2).
É chamado de acusador (Ap. 12.10). Ele delatou o sumo sacerdote Josué (Zc. 3.1) e pediu para cirandar com Pedro (Lc. 22.31). Vivamos pois de modo que ele não tenha de que nos acusar (Tt. 2.8; Jo. 14.30).

3 - Seu campo de atuação
Ele é chamado “príncipe deste mundo” por Jesus (Jo. 12.31; 14.30; 16.11) e “deus deste século” por Paulo (II Co. 4.4). No seu rodear a terra, quantas vítimas deve ter deixado? Adão e Eva, Caim, Saul, Judas, Ananias, etc.

4 - Sua permissão para provar Jó 1.12; 2.6. Satanás não pode tocar na vida do crente a não ser com a permissão de Deus (I Jo 5.18), pois o cristão tem a sua existência no esconderijo do altíssimo (Sl. 91; Cl. 3.3). Deus permitiu a prova de Jó, para mostrar a Satanás que o homem que confia no seu criador, pode perder todas as coisas aqui na terra, mas jamais deixa de confiar em Deus (II Tm 4.7). No caso de Pedro não houve permissão para satanás cirandar com ele (Lc. 22.31,32).

5 - O limite imposto por Deus Jó 1.12 “somente contra ele não estendas a tua mão”. Deus permitiu a Satanás destruir os bens e a família de Jó; porém, Ele fixou um limite até onde Satanás podia ir e não lhe concedeu o poder de morte sobre Jó. Satanás lançou tempestades violentas contra Jó (vv. 13-19).

6 - Estado original de Satanás: A relação figurada com o rei de Tiro (Ez. 28.12-18).

7 - Algumas características originais antes da queda (Ez. 28.12-18) - possuidor de elevada distinção e detentor de honrosos títulos e posições: 
a) Aferidor da medida - nele se encontrava a medida perfeita da criação daquilo que Deus queria.
b) Estavas no Éden, jardim de Deus - pedras preciosas representa a gloria que ele possuía antes da queda.
c) No dia em que foste criado - era um ser criado por Deus (ver. 13)
d) Querubim ungido para proteger (v. 14) - fazia parte de uma alta classe de seres angélicos. Sua função seria proteger o trono de Deus (Gn. 3.24; Sl. 80.1).

8 - Sua queda:  A queda de satanás resultou de sua própria escolha, ilustrada na lamentação pela queda do rei da Babilônia (Is. 14.11-15)

9 - Cinco afirmativas descritas em (Is 14.13,14), que revelam as pretensões de Lúcifer:
a) Eu subirei ao céu
b) Acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono
c) No monte da congregação me assentarei
d) Subirei acima das mais altas nuvens
e) Serei semelhante ao altíssimo 

10 - Personalidade de Satanás: Possui intelecto (II Co. 11.3); Ele tem emoções (Ap. 12.17); Ele tem vontade (II Tm. 2.26). 

11 - Traços da sua personalidade: Ele é homicida (Jo. 8.44); Ele é mentiroso (Jo. 8.44); Ele é um pecador costumaz (I Jo. 3.8)

12 - O diabo tem tríplice missão: matar, roubar destruir (Jo. 10.10). 

13 - Nomes e títulos pessoais:

a) Lúcifer - esse nome não aparece literalmente na Bíblia. Na linguagem figurada de Is 14.12, o nome Lúcifer aparece vinculado à expressão “filho da alva”. Em Isaias 14 lemos sobre a queda do rei da Babilônia. Em Ezequiel 28 há uma lamentação sobre o rei de Tiro. Os textos são históricos e literais, mas, nas entrelinhas deixa-se ver detalhes de que se está falando de um ser espiritual, maior que aqueles reis. Seria como Davi compondo o Salmo 22 em forma de oração e de repente percebe-se que ele não está falando de si, mas de outro: Jesus. Outro exemplo seria Isaías 53 e Atos 8. O eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, pergunta para Filipe de quem que ele (Isaías) está falando, dele mesmo ou de outro? Assim, aqui também o profeta Isaías começa a falar do rei da Babilônia e (de repente) algumas palavras vão além. De igual modo Ezequiel está fazendo uma lamentação sobre o rei de Tiro e suas palavras começam a tratar de algo supra-terreno.

O Termo Lúcifer e a Bíblia: Em Isaías 14.12, o termo hebraico "helel", pode significar: "ser luminoso", "astro brilhante"; por isso veio a ser traduzido por "luzeiro da aurora", "estrela da manhã" ou "estrela d'alva" (porque esta estrela mostra-se, ao amanhecer, mais brilhante que as outras). Por essa causa em nossas Bíblias, em língua portuguesa, constam os termos acima. Todavia a Vulgata Latina, tradução de Jerônimo, cerca de 400 d.C, traduziu "helel" por Lúcifer e assim as versões que têm a Vulgata como base, conservam a tradução do termo Lúcifer. Como é o caso, também, de algumas versões inglesas da King James.
Tradução da Vulgata Latina de Isaías 14.12:
"Quomodo cecidisti de caelo, lucifer, fili aurorae? Delectus es in terram, qui deiciebas gentes".

b) Satanás - título dado após a sua queda da presença de Deus, e significa “adversário” (Zc. 3.1; I Pe. 5.8).

c) Diabo - esse nome é uma transcrição do vocábulo gr. diabolos que significa “caluniador, acusador” (Ap. 12.10).

d) Belzebu - (Mt. 10.25; 12.24,27) - título relacionado ao deus pagão de Ecrom, por nome Baal-Zebul.

e) Abadom (hebraico) ou Apolion (grego) - tem o mesmo sentido na Bíblia e significa “destruidor”. Em Ap. 9.11 ele aparece como o anjo do abismo, identificado como Abadom ou Apolion.

14 - Representações: serpente (Ap. 12.9), dragão (Ap. 12.3), anjo de luz (II Co. 11.4).

15 - Suas limitações: ele é uma criatura e, portanto, não é: onisciente, onipresente e onipotente.
- Sua ação pode ser resistida pelo crente (Tg. 4.7).
- Deus impõe limites a ele (Jó. 1.12).

16 - Atuação de Satanás: 
a) em relação aos descrentes - ele cega o entendimento (II Co. 4.4), ele arrebata a Palavra de seus corações (Lc. 8.12) e usa homens para se oporem à Obra de Deus (II Tm. 3.8; Ap. 2.13). 
b) em relação aos crentes: ele os tenta a mentir (At. 5.3), ele os acusa e difama (Ap. 12.10), ele dificulta o seu trabalho (I Ts. 2.18), semeia o joio entre o trigo (Mt. 13. 38,39) e incita perseguições contra os crentes (Ap. 2.10). 
c) lugar de atuação – ar, terra e mar (Ap. 12.12).

17 - Trajetória de satanás: A Bíblia adverte-nos que o diabo ocupa regiões celestes, desde que foi retirado da glória do Senhor (Ef. 6.12), lugar de que deverá ser expulso no início da Grande Tribulação (Ap. 12.7-12). Aliás, a trajetória do diabo é uma seqüência de precipitações, de quedas e de fracassos.
Da glória celestial, foi precipitado às regiões celestiais, que hoje ocupa, para ser derrubado na terra e, após ter sido selado e amarrado por mil anos (Ap. 20.1,2), será, por fim, lançado no lago de fogo e enxofre (Ap. 20..10). Assim será todo aquele que, a exemplo do diabo, rebelar-se contra o senhorio de Deus!

18 - Os juízos contra Satanás: 
a) expulso de sua posição original no céu (Ez. 28.16).
b) julgamento pronunciado no éden (Gn. 3.14,15).
c) julgado na cruz (Jo. 12.31).
d) expulso dos céus na tribulação (Ap. 12.13).
e) preso no abismo no início do milênio (Ap. 20.2).
f) lançado ao lago de fogo ao fim do milênio (Ap. 20.10).


Para refletir: 
- Ef. 4.27 Não devemos dar lugar ao diabo 
Dar lugar ao diabo quer dizer se conformar com a mentira e com o sistema sob seu comando. 
- I Tm. 3.6 A soberba é o pecado do diabo
“...não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo”.
Dizia Moody - Deus não dispensa ninguém de mãos vazias, a não ser que a pessoa esteja cheia de si mesmo (ego, inchado). 
Hb. 2.14 Cristo veio aniquilar o império do diabo
“E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo”. 
Tg. 4.7 O diabo deve ser resistido
“Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” 
I Pe. 5.8 O diabo anda como leão
Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;” 
Ap. 20.10 O diabo será lançado no lago de fogo
”E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.”

3 comentários:

  1. amo este cantinho aprendo muito aqui!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom estudo. Pois é, o diabo quis tanto que agora nem no inferno ele é rei.

    ResponderExcluir
  3. Glória ao SENHOR JESUS, Que pisou na cabeça da serpente.sentenciando-a para sempre...

    ResponderExcluir

deixa seu comentário...Obrigado...