quinta-feira, 29 de julho de 2010

A SUPERIORIDADE DA MENSAGEM DA CRUZ...

3. A MENSAGEM DA CRUZ DE CRISTO
Os judeus pedem um sinal, os gregos querem sabedoria (I Co. 1.22) A mensagem do evangelho de Cristo, por conseguinte, é um escândalo para os judeus e loucura para os gregos. Aprouve a Deus, entretanto, salvar os homens (e mulheres) pela loucura da pregação (I Co.2.14; 3.19). A pregação do apóstolo Paulo, quando esteve em Corinto, não se fundamentou em sofismas, em raciocínios lógicos, mas na cruz de Cristo (I Co. 2.4). A mensagem da cruz é a interdição de Deus tanto aos religiosos quanto aos filósofos. Enquanto a religião quer que as pessoas sejam salvas por meios das suas obras, a mensagem do evangelho de Cristo diz que o homem é salvo pela graça, por meio da fé, e que isso não vem de nós, é dom de Deus (Ef. 2.8,9). Enquanto os homens buscam uma explicação lógica para provar que Deus não existe, Ele, na Sua simplicidade, se faz carne, habita no meio dos homens e, em Cristo, revela-la se como o Deus de amor e graça (I Co. 1.27). A mensagem da igreja cristã não pode ser outra senão a do Cristo crucificado (I Co. 2.2). Não são poucos que atualmente querem sustentar suas mensagem na religiosidade humana ou em argumentos filosóficos. As pessoas somente poderão crer pela fé, e essa resulta da pregação da Palavra de Deus (Rm. 10.17).

CONCLUSÃO
A mensagem da igreja não pode ser religiosa – fundamentada nos méritos humanos, ou filosófica – sustentada na razão pura. A tarefa da igreja é a de se debruçar espiritualmente sobre a Palavra de Deus e proclamá-la em alto e bom som. Essa não agradará a todos os seguimentos da sociedade, continuará sendo escândalo para os religiosos e loucura para os intelectuais. Isso porque os religiosos não admitem serem salvos por outro meio que não seja o esforço pessoal. Os pensadores acham a pregação cristã algo irracional e sem qualquer fundamento lógico. Mesmo assim, com o autor do hino 291 da Harpa Cristã cantamos: “Rude cruz se erigiu, dela o dia fugiu, como emblema de vergonha e dor, mas contemplo esta cruz, porque nela Jesus, deu a vida por mim, pecador. Sim, eu amo a mensagem da cruz, té morrer eu a vou proclamar, levarei eu também minha cruz, té por uma coroa trocar”

quarta-feira, 21 de julho de 2010

TESTEMUNHO DA EX-MÉDIUM MARY GRACE HUGHES (libertação do espíritismo)

Ex-espírita: “Estive enganada durante catorze anos”

INFÂNCIA
Sou de uma família de quatro filhos: dois homens e duas mulheres, meu pai e
minha mãe. Minha mãe foi muito infeliz por causa das muitas ausências do
meu pai. Mamãe era indiferente com relação a religião. Diziam-se católicos,
porém simpatizante do espiritismo.. Naquela época os crentes eram muito
marginalizados pela sociedade. Ser crente era ser inferior e sem cultura.
Ser espírita ou mesmo simpatizante do espiritismo era uma “coqueluche” da
cultura brasileira. Esta foi uma das causas da decadência moral, política e
social do Brasil, pois a mente de um país espírita fica alienada a “carmas”
sofrimento e pobreza, conformismo e etc.
Quando tinha dez anos minha mãe sofreu de uma doença paroxística difusa
que afetou sua personalidade. Ela foi para um sanatório e aquele quadro
machucou muito meu coração, pois eu a amava muito.
Nesta ocasião meu pai já havia constituído nova família. Os divorciados eram
muito discriminados naquela época eu e meus irmãos passamos a ter
dificuldade por ser filhos de pais separados. Muitas vezes fui convidada,
como criança, a me retirar de uma casa por causa deste motivo.
Meu círculo de amizade passou a ser com crianças com quadro semelhante
ao meu,
Sem meu pai e minha mãe em casa minha vida passou a ser um tormento. Fui
me tornando uma pessoa muito triste. Minha casa era o último lugar em que
eu queria estar. Passava maior parte do meu tempo na rua. Sempre
encontrava uma maneira de fazer dinheirinho para pipocas, sorvetes e
material para construir meus próprios brinquedos.
Eu sempre questionava o porquê daquele sofrimento.

ADOLESCÊNCIA
Com quatorze anos de idade passaram a acontecer fenômenos paranormais.
Em minha casa janelas abriam e fechavam, vultos passavam ruídos
estranhos. Tinha impressão de que alguém estava em casa o tempo todo.
Muitas vezes a temperatura da casa se modificava e dava a impressão de
ambiente mal assombrado.
Uma vez recebi uma visita de uma prima minha e um destes vultos se
materializou para ela na forma de um macaco gigante. Ela ficou em
desespero aterrador. Passei a ser muito sensitiva. Perdi o medo e passei a
conversar com uma “presença” espiritual
Um dia esta presença se manifestou na forma de um índio passei a ter
vontade de vestir e agir como um índio. Pintei metade do meu rosto e fui pro
quintal brincar de índio. (Neste tipo de manifestação é como se existisse
uma mente paralela a da pessoa, não há confusão de personalidade, a pessoa
tem plena consciência de si e da entidade. São duas mentes distintas).
Segundo os espíritas eu era uma médium, e para me livrar deveria
desenvolver minha mediunidade num centro espírita. Não me interessei pela
proposta.
Às vezes eu ia ao centro espírita Kardecista para tomar passes. Lá eles
falavam de Jesus e me confortavam. Eles me asseguravam que não existiam
demônios nem Satanás e sim espíritos que interferiam em nossa vida se não
desenvolvesse a mediunidade Naquela ocasião me tornei simpatizante do
espiritismo. Enquanto isto a situação de minha família se agravava cada vez
mais. Minha mãe nunca voltou ser a mesma.
Naquela época comecei a freqüentar bares noturnos, o cigarro, a bebida, os
amigos me fizeram sentir outra pessoa. Sentia-me livre e adulta. Finalmente
encontrei um ambiente onde era aceita.
Aos quinze anos eu já havia sido internada em hospital psiquiátrico espírita
por duas vezes. A enfermeira me levou a uma sala no interior do hospital
onde pude observar os espíritos se comunicando através dos médiuns. Eram
pessoas cultas e de alto nível social.
Um ano mais tarde fui internada pela terceira vez no mesmo hospital. Meus
exames médicos não acusavam nada. Eles sempre insistindo que eu deveria
desenvolver minha mediunidade.
Internada em um Sanatório.
Meu pai me mandou para um hospício. As condições eram as piores possíveis,
muita gente assustadora por causa da loucura e dos excessos de
comprimidos. Procurava não tomar os comprimidos, mas um dia a enfermeira
descobriu e passou a me obrigar e eu fiquei igual às outras internas: ria à
toa e falava molemente. Fiquei seis meses no sanatório. Fui muito dopada
com injeções, para calarem minha boca tendo em vista o que eu presenciara
naquele lugar, inclusive maus tratos que levou à morte de uma interna.
De volta para casa
Quando saí do sanatório voltei ao convívio com o título de “pancada” da
cabeça. Achei amizade agora só com pessoas pervertidas, o que tinha de
pior na cidade.
Um dia orei a Jesus pedindo a ele que queria ser uma moça normal.. Queria
ter alguém que me amasse. Sonhava em casar-me e sair daquela cidade. Eu
tinha todos os sonhos de uma adolescente.
Eu não queria ser espírita, não me interessava pelos mortos; não queria ser
médium.
Minha aparência melhorou e logo conheci meu futuro esposo e aqui neste
testemunho vou chamá-lo d Carlos.
Era de boa família bom status social. Muitos o avisaram contra mim, mas ele
faz seu próprio julgamento. Ele era católico praticante.
Arrumei um trabalho de manequim. Comecei a desfilar, as pessoas me
aplaudiram eu era admirada e reconhecida. Passei a ser modelo exclusiva da
Maruere, uma Cia Japonesa. Passei ater um salário altíssimo. Agora o
patinho feio se transformara num lindo Cisne.
Três anos depois estava casada. Tive um lindo filho chamado Fábio. Já
possuíamos um próprio negócio de confecção. Com os anos meu casamento
foi sofrendo um desgaste. Eu e Carlos nos amávamos, mas não éramos
felizes. Tentávamos de todo jeito até que Carlos procurou um Centro
Espírita Kardecista. Ele era de forte formação católica. Fiquei
impressionada com esta decisão. Ele trouxe um recado de um médium que eu
deveria ir lá também. Quando não temos conhecimento da bíblia e não
sabemos quem estes espíritos realmente são, a experiência com os espíritos
se torna a de uma “presa na rede” A comunicação é real, mas eles não são um
ente querido, mas demônios, espíritos familiares que passam na mesma
família de geração em geração. Eles conhecem nossa vida, nossos
antepassados e sabem de detalhes e segredos a nosso respeito que estavam
ocultos. Através dos médiuns eles nos revelam o que viram e convencem que
sua doutrina é verdade, principalmente porque eles falam o nome Jesus.
Veja o que a bíblia diz sobre isto em I TIMOTEO 4:1. “MAS o Espírito
expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando
ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios.”
Na semana seguinte fui a uma sessão espírita. A médium atendia um a um
antes da sessão de desobsessão. (Segundo o espiritismo, nesta sessão os
espíritos dos mortos se manifestam através do médium. Eles são
doutrinados e levados por outros espíritos para diversas partes do mundo
espiritual dependendo da sua evolução e do tratamento que necessitam. Na
maioria das vezes este espírito de luz também chamado de “anjo de luz”,
mentor do centro ou do médium principal, manifesta-se dando uma
mensagem).
O Crente em Jesus Cristo que conhece a bíblia não se deixa enganar, pois
assim diz a palavra de Deus: “II CORINTHIOS 11:13, 15” Porque tais falsos
apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de
Cristo. (referindo-se aos médiuns)E não é maravilha, porque o próprio
Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus
ministros (médiuns) se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos
quais será conforme as suas obras.
Fiquei impressionada com as palavras de conhecimento da minha vida, sobre
assuntos cotidianos. Ele disse que eu tinha de estudar o Evangelho do
Espiritismo, O livro dos espíritos e as obras de André Luiz. Se eu não
fizesse minha vida nunca seria próspera e os espíritos obsessores me
perseguiriam, pois eles eram pessoas que em vidas passadas , nós os
prejudicamos, perseguimos, atormentamos e em alguns casos até os
assassinamos. Agora eles nos perseguem até que haja um acordo de paz ou
uma reencarnação expiatória.
Ai, eu me perguntei: Porque fugir do espiritismo? Afinal eles falam em
Jesus, praticam a caridade e nunca os ouvi falar que deveríamos praticar o
mal.
Mergulhei da cabeça no espiritismo. Dediquei-me a descobrir o que
ensinavam. Fiquei impressionada quando eles me disseram que o
CONSOLADOR, o espírito da verdade, que Jesus Cristo prometeu era o
ESPIRITISMO. Fiquei atônita porque esta teoria espírita explicava meus
sofrimentos, os desajustes de minha família (só não os resolvia) explicava e
alimentava o meu intelecto. AQUI O PEIXE CAIU NA REDE.

UMA ESPÍRITA ATUANTE
Uma nova etapa começou em minha vida. Feliz pela literatura espírita que
satisfazia meu intelecto, mas nunca a minha alma, e motivada pelo amor que
eu nutria por Jesus, passei a seguir o Kardecismo.
Seis meses após o meu encontro com aquele médium meu casamento acabou.
O amor acabara. O espiritismo trouxe a “solução” para o nosso casamento:
segundo os espíritos, nossa etapa juntos acabara; teríamos de seguir nosso
destino, separados. Mais tarde eu já estava num relacionamento confuso e
decadente, envolvimento este que me custou caro: meu filho, minha paz e
minha saúde. Chamarei este indivíduo com o qual me envolvi de José. Muitas
vezes quis sair deste relacionamento, mas era muito difícil. Era como se
minha própria vontade nada valesse. Machucamos muitas pessoas por causa
deste envolvimento, mas segundo os espíritos não adiantava lutar contra,
pois nos reencontrávamos para uma nova etapa de evolução. Segundo os
espíritos nossa união já havia sido ordenada antes de nos reencarnarmos.
Sete meses mais tarde nos unimos para o bem ou para o mal. Mas só
aconteceu o mal. José sofrera uma perseguição de seu melhor amigo, uma
ação judicial que nos custou seis lojas de confecção mais a falência.
Devido à falta de condições financeiras e instabilidade entreguei meu filho
ao seu pai para cuidasse até que as cousas melhorassem. O menino tinha
apenas três anos de idade. Devido a novo ramo comercial tivemos que viajar
para outras cidades e fixarmos residência de até dois anos em cada cidade.
Eu e José éramos fieis ao espiritismo, em toda cidade que passávamos
visitávamos os centros espíritas. Nós divulgávamos a doutrina aonde quer
que fôssemos. Em 1982 mudamos para Belo Horizonte, onde por dois anos
freqüentamos a cidade de Pedro Leopoldo, cidade natal do famoso médium
Chico Xavier, o Centro Espírita Bezerra de Menezes.
O fundador daquele centro era o continuador das tarefas assistenciais de
Chico Xavier, desde que o famoso médium se mudara para Uberaba.
Nosso primeiro encontro com o médium de |Pedro Leopoldo foi muito
marcante. Estávamos impressionados com sua mediunidade. Vários espíritos
se manifestavam ali: desde Bezerra de Menezes até Scheilla que, segundo
os espíritos, fora uma enfermeira na segunda grande guerra mundial. Ela
também era filha do espírito do Dr. Fritz, um espírito que vem se
manifestando através de vários médiuns promovendo diversos tipos de curas
e cirurgias espirituais. A maioria dos médiuns que se envolveram com este
espírito morreu tragicamente para se cumprir o que a bíblia diz em Levítico
20:27. “O homem ou a mulher que entre vós for médium ou feiticeiro,
certamente serão mortos, serão apedrejados, e o seu sangue cairá sobre as
suas próprias cabeças”.
Neste mesmo dia após fazermos a distribuição de sopa fomos para o
interior do centro, onde o médium diretor convidava diversas pessoas para
sentar-se à volta da grande mesa. Aquele velhinho me tratou com muito
carinho e foi me dizendo: “Eurípedes Barsanulfo pediu-me que cuidasse de
você com muito carinho” Aquilo foi um impacto para mim. Este nome era o
mentor espiritual do centro que eu freqüentara antes.
Freqüentei aquele centro por dois anos. Na ocasião meu guia espiritual se
manifestou. Ele fazia parte da falange de Scheilla. Conheci os maiores
médiuns do Brasil.
Lembro-me de ter compreendido como os médiuns sofrem. Quanto maiores
são as manifestações sobrenaturais, e mais alta a posição do espírito
mentor da linhagem espiritual, mais o médium sofre. Na maioria dos casos
ele padece de doenças progressivas. Acidentes de carros eram comuns. O
médium daquela instituição, que passou a ser meu padrinho espiritual,
andava arrastando, pois tinha parafuso emendando diversas partes do seu
corpo, devido a um sério acidente de carro. Aprendi com ele a renunciar a
mim mesmo em favor da doutrina dos espíritos e ser tolerante nos
momentos de provas e expiações. Quando certos problemas viessem,
teríamos de suportar, tolerar e sofrer em silêncio, para que pudéssemos
evoluir. Era um luxo ser médium e ser pobre.
Meu padrinho era muito procurado por pessoas de todas as classes sociais.
A resposta era sempre a mesma: Mediunidade. Segundo a doutrina dos
espíritos todos são médiuns. Se você já foi a um centro já deve ter ouvido
isto. O quadro das congregações espíritas é mesmo. Muitas pessoas sofrem
de perseguições judiciais, perdem seus bens e vão à falência. Vinham em
busca de consolo e a resposta era sempre a mesma: mediunidade. “Este é o
seu carma, na próxima reencarnação você estará livre desta dívida. A terra
é um lugar de provas e expiação”.
Os problemas mais comuns eram os familiares. A cada dez famílias, oito
estavam enfrentando desilusões, separação e divórcio. Outros problemas
muito comuns eram de ordem psíquica, perturbação espiritual.
Em todos os casos os guias apresentavam sempre a mesma solução: renda-se
aos espíritos, desenvolver mediunidade, freqüentar sessões espíritas, tomar
passe e água fluída. Os resultados eram sempre os mesmos: as pessoas não
encontravam uma solução positiva para os seus problemas. Nada melhorava
apenas as pessoas ficavam conformadas com o fato de que carregavam
consigo uma grande carga de culpas de vidas passadas. Sem conhecer
verdadeiramente a pessoa do Senhor Jesus Cristo, o Filho ressuscitado do
Deus Vivo. As pessoas se comprometiam com as práticas espíritas,
caridades ajudando as mais infelizes que elas. Quanto aos perturbados, se
não se envolvessem com a doutrina espírita, acabavam sendo levadas à
loucura pelos espíritos e internados em hospitais psiquiátricos como eu fora.
No ano de 1984 mudamos para os Estados Unidos. Durante este tempo
fundamos naquele país, EUA, um grupo espírita em Forte Lauderdale,
Flórida, que se dissolveu quando voltamos ao Brasil em 1986.
Neste período eu já tinha fortes experiências com os espíritos, pois
desenvolvera diversas mediunidades. Uma foi a experiência fora do corpo,
chamada pelo espiritismo de desdobramento. Conhecida também como
viagem astral. Era muito fascinante, pois eu era levada pelos espíritos a
diversos locais no mundo espiritual, até países e cidades distantes. Eu
volitava pelas montanhas, bosques, florestas, praias e rios. Entrei até
mesmo em um vulcão. Já saí de meu corpo e toquei-o fora de mim, passeava
pelo meu quarto com meu corpo na cama e tocando todos os objetos de uso
pessoal.
Quando eu estava nos EUA, ia ao Brasil levada pelos espíritos e visitava
familiares, amigos e etc. Era muito comum eu ter notícia de familiares e
amigos antes mesmo que elas chegassem a nós pelos meios naturais. Meu
esposo estava habituado a este tipo de experiência que eu tinha.
Em uma ocasião, no Brasil, hospedado na casa de meu padrinho espiritual. À
noite eu e meu esposo, na cama. Conversando quando vi o meu padrinho
espiritual entrar pela porta do quarto. Eu estava tão habituada a exercer a
saída do corpo que desejei estar ali com ele. Exerci a queda da respiração, e
em segundos estávamos juntos no quarto, em espírito. Fomos para a sala de
jantar onde ficamos conversando por dez minutos, Eu o acompanhei até ao
portão da casa. Ele me pediu que eu voltasse para o meu corpo e ele seguiu
volitando para o céu afora. Voltei para meu quarto, entrei em meu corpo e
relatei a experiência ao meu marido. Na manhã seguinte à frente de várias
pessoas, meu padrinho veio e disse que ontem à noite ele não pode me lavar
aonde foi. Eu me considerava privilegiada, pois poucos médiuns têm este tipo
de experiência. Ficava feliz por fazer parte de uma minoria.
Por várias vezes quando estava em desdobramentos corri sérios perigos.
Sempre havia algum tipo de armadilha para me pegar. Na maioria das vezes
via meu mentor espiritual ao meu lado. Em algumas ocasiões ele me levava
para um túnel escuro, dentro dele eu começava a sentir uma forte pressão,
como se um aspirador magnético muito forte me puxasse. Ao ser sugada, o
túnel se tornava cada vez mais horrendo, eu sentia calafrios. Muitas vezes
eu sentia que uma força diferente me livrava da experiência. Nunca me
preocupei mesmo sabendo que corria risco de morte, pois eu confiava no
meu guia espiritual. (Eu não sabia quem realmente ele era…).
Meus problemas pessoais e familiares eram grandes; a opressão e a
perseguição espiritual vinham de todos os lados. Eu estava sempre doente e
muito infeliz. Contudo quando eu olhava meus mestres espirituais, eu me
considerava feliz, pois todos sofriam perseguições espirituais, a maioria
deles padecia de doenças e enfermidades piores que as minhas. Quem era
eu para reclamar. Eu era apenas uma simples cooperadora do espiritismo e
dos espíritos, se comparada a grandes médiuns de renome. Quando eles me
revelavam meu “passado”, “vidas passadas” eu me sentia a pior das pessoas,
sem o mínimo de merecimento. Eu sofria calada, sempre esperançosa de uma
vida futura melhor, “nas próximas reencarnações”.
Eu renunciara meu direito a um lar feliz, sadio e estável. Eu sentia muita
falta do meu filho. A saudade doía. Muitas vezes eu chorava calada por
estar distante dele. Buscava nas crianças ao meu redor a imagem de meu
filho nas diferentes idades. Muitas foram as vezes que ansiava ter meu
filho no colo, beijá-lo, levá-lo ao parque. Entre nós estava a distância, meu
marido e a vida nômade e instável. Poucas vezes tive a felicidade de ter meu
filho comigo, por alguns dias ou algumas horas.

LÍDER NO ESPIRITISMO
No ano de 1986 voltamos ao Brasil, estabelecemos uma fábrica de
confecção na cidade de São Joaquim da Barra/SP. Nesta ocasião ansiava por
restabelecer meu lar e ter meu filho comigo. Meu esposo se opôs
totalmente à minha vontade, ele não aceitava que meu filho morasse
conosco. Meu filho passou poucos finais de semana comigo e, muitas vezes,
chorei por isto.
O tempo passava e meus anseios de mães eram sufocados. Um dia meu
padrinho espiritual me trouxe um consolo por parte dos espíritos. Ele pedira
ao doutor Bezerra de Menezes (espírito) que lhe apontasse o quadro
espiritual entre nós três (eu, meu esposo e meu filho) em vidas passadas. O
espírito do Dr. Bezerra de Menezes mostrou-lhe as páginas de um livro que
registravam o seguinte CARMA: eu e meu atual esposo éramos casados
legalmente. Meu filho naquela época era meu amante e, juntos assassinamos
de modo cruel meu esposo. Era, portanto necessário que a dor da renúncia e
da separação pagasse o carma contraído. Cri piamente nesta explicação para
os acontecimentos. Com isto eu perdi toda energia para lutar ou querer
mudar os fatos. O barco teria de seguir seu destino.
Eu poderia mudar os fatos sim, mas, segundo os espíritos, iria contrair
novas provas e novas provações fora do meu destino e teria de pagar tudo
de novo em uma vida futura.
Fico a pensar em quantos quadros e situações como estas estão ocorrendo
no Brasil agora. Num país onde 40% da população são simpatizantes desta
doutrina e crê nestes mesmos fardos, ou piores,, quantos corações aflitos
passam pelos mesmos fardos ou semelhantes? Eles vivem oprimidos
carregando nos ombros e no coração o sentimento de culpa de vidas
passadas, renunciando seus preciosos filhos e filhas, deixando lares,
abandonando cônjuges e entes queridos. Eles vivem miseravelmente por
crerem nas mais absurdas farsas enganadoras de vidas passadas.
Passei a dedicar ainda mais na caridade, pos fazer o bem aliviava meu
coração. Dentre muitas ações de caridade que fiz na cidade de São Joaquim
da Barra e de Franca, lidei com grupos jovens espíritas e vi que desde cedo
sofriam profundas perdas e sofrimentos. Mas seus corações eram sinceros
como o meu e se esforçavam por buscar a Jesus. Os jovens pouco sabiam de
Jesus.
Neste tempo os médicos diagnosticaram um foco convulsivo do lado
esquerdo da minha cabeça. Passei a sofrer de convulsões cerebrais. Foi uma
época muito dura para mim. O relacionamento com meu esposo era
miserável. Eu sentia muita falta do meu filho. Eu guardava no coração as
amarguras e sofrimentos do dia a dia. Os médicos me disseram se eu
continuasse renunciando a mim mesma daquela forma eu poderia sofrer
lesões mais sérias.
Era tempo de por fim àquele carma. Eu estava segura que se continuasse
aquela vida com meu esposo eu ficaria doente e inválida e o perderia de
qualquer forma. O mesmo egoísmo que o mantinha unido a mim, faria com
que ele me deixasse.
Não foi fácil tomar esta decisão. Como uma pessoa subjugada a outra sofre.
Mas Jesus mais uma vez interferiu a meu favor de forma maravilhosa,
mesmo sem eu ter conhecimento.
Viajando pelo litoral santista, à tarde eu e meu esposo passamos frente a
uma igreja evangélica da Assembléia de Deus. Era um congresso. Senti uma
grande vontade de ir aquela igreja. Com o consentimento dele eu fui. O
Pastor Marco Túlio Barros pregava a palavra de Deus. Ele deu seu
testemunho de como Jesus o havia livrado da prisão e da morte numa viagem
missionária no oriente médio. Logo ele fez um apelo perguntando se alguém
queria aceitar Jesus. Eu dizia: “Eu já tenho Jesus” Dentro de mim algo me
impulsionava a ir, mas eu resistia àquela vontade. Uma jovem veio em minha
direção com um olhar materno, segurou em minha mão, me levou até ao altar.
Ali eles oraram fervorosamente por mim. Ao final da oração meu coração
estava rendido. Senti-me aliviada, mas não sabia o que era. Retirei-me da
igreja, relatei o fato ao meu marido e rimos juntos. Mas lá no íntimo meu
espírito meditava sobre o ocorrido e guardei aquela cena no coração. Ali eu
ganhei forças e me libertei do jugo que me prendia aquele homem. Logo em
seguida recebi um convite de amigos evangélicos dos EUA Mr. e Mrs.
Wolpert. Eles queriam me ver novamente e me convidaram a passar um
tempo com eles na Flórida.
As convulsões haviam se intensificado. Recebi apoio de todos meus amigos
com relação à separação e minha ida para os EUA. Depois disso passei a
lidar com um grande inimigo: meu esposo. Ele se recusava a dividir os bens e
a indústria que adquirimos juntos. Ele queria me punir por deixá-lo. Paguei
mis um preço da separação. Fiquei com quase nada. Fui passar trinta dias de
férias com o casal amigo.

A MISSÃO
Ao regressar aos EUA, de férias achava que ia ter descanso, como se isto
fosse possível sem os braços do Senhor e Salvador Jesus Cristo. O Casal
Wolpert me dava muito carinho. O casal já alcançava setenta anos de idade.
Eles liam a bíblia toda manhã, e duas vezes por semana íamos a igreja. Eles
me convenceram a passar mais seis meses com eles.
Meu guia espiritual começou a me mostrar que o tempo previsto para a
missão que eu me comprometera com os espíritos havia chegado. Eu seria
usada pelos espíritos para implementar o centro espírita, onde os espíritas
brasileiros pudessem estudar e praticar a doutrina espírita.
Eu procurava um centro kardecista, o que era impossível, pois nos EUA,
Flórida, só havia o centro espírita hispânico, com atividades bem diferentes
das do Brasil. O kardecismo não conquistara espaço na cultura americana.
Eu não me separava do Evangelho Segundo o Espiritismo, dos Livros dos
Espíritos, nem do meu costumeiro diálogo com os espíritos.
O casal Wolpert fez de tudo para que eu me congregasse na igreja, mas
segundo a minha própria ignorância, concepções e credos, eu não queria
“regredir” na minha vida espiritual, desejava ter comunhão com os espíritos.
Era uma luta entre a Luz e as trevas. Jesus fizera tudo para me resgatar
daquela vida de engano, mas eu estava cega.
Meu guia espiritual insistia que eu deveria iniciar um trabalho para
brasileiros. Quando o famoso médium Divaldo Pereira Franco visitou a
comunidade Hispânica Kardecista, compartilhei meus intentos com ele. Fui
encorajada a iniciar os trabalhos no prédio da Federação Espírita Hispânica,
pois assim teria menos despesas com aluguel.
Voltei ao Brasil, vendi tudo, retornei aos EUA e nasceu o “grupo espírita
irmã Scheilla” Foi um sucesso. Em 1993 fundamos a folha espírita de Miami.
Muito zelo, muita dedicação. Ali nunca uma comunidade latina tinha
prosperado tanto como a nossa.
Em 1992 lancei a griffe Mary Grace Designers, linha praia esportiva. Depois
passei a trabalhar como colunista do Flórida Review, maior jornal brasileiro
no exterior. Fui crescendo, entrevistei gente famosa, fiz teatro. Implantei
um programa na televisão.
Poucos meses após a estréia do meu programa,, o furacão Andrews devastou
o centro de Miami, causando uma grande perda para os comerciantes
brasileiros, eles eram meus patrocinadores e isto inviabilizou a manutenção
do programa. Tive outros apoios na TV e isto me ocupava muito. Os estudos
espíritas começaram a enfraquecer-se. Meu guia me advertia que minha
missão nos EUA era com o grupo espírita. Estava para ter um contrato com
a Varig e fiquei entre a doutrina espírita e a vida profissional. Deixei a TV,
pois não podia viver sem meus amigos espirituais. Além disso, eu cria
piamente que a doutrina Espírita era a terceira revelação de Deus, o
Consolador prometido por Jesus Cristo. Tudo que o diabo dá, ele toma.

O CAOS
Obra e sofrimento são a marca do espiritismo. Líder ou simpatizante, não
importa. Ninguém está livre de, lentamente cair no caos. Cedo ou tarde,
tragédias devastadoras assolarão a nossa vida. Pagamos um carma e logo
aparece outro. Não há recompensa pelo trabalho, não há vitórias em nossas
lutas. O drama da consciência, o sentimento de culpa e de não merecimento,
rouba até a fé em nós mesmos.
A doutrina espírita tem sempre a mesma explicação para as tragédias, os
tormentos, o sofrimento e a mediunidade: a terra é um lugar de provas e
expiações. Nós devemos ter sido muito maus, causando muito sofrimento a
muitas pessoas em vidas passadas. Agüentemos firmes; vamos superar mais
essa.
Teria eu mais carmas? Não há tréguas! Os espíritos não exigem de nós
apenas obras e renuncias: a doutrina é mais bem propagada quando a
divulgamos miseravelmente. Exemplo disso é a vida do codificador Alan
Kardec que perdeu quase tudo o que tinha e morreu pobre, quase sem nada,
e um grande espírita brasileiro que passou grande fase de sua vida enfermo,
acamado, doente e em sofrimento.
Pouco depois que deixei o programa de TV, sofri um grave acidente de
carro. Quatro deles bateram contra meu automóvel, que ficou totalmente
destruído. Sangrando e gemendo recobrei a consciência quando já estava na
ambulância. Uma força diferente, agradável me sustentava, sentia paz e
estava sem dor. Mas logo comecei a invocar os espíritos, principalmente o
Dr. Bezerra de Menezes, conhecido como médico espiritual. Então uma
sensação sombria se apoderou de mim. Esperava receber consolo e conforto,
mas não foi o que aconteceu. Não entendi o que aconteceu, mas guardei
comigo aquela impressão. Sofri muitos danos, fiquei longo tempo em
recuperação. Meu lado esquerdo precisava de reabilitação. Meu pescoço
tinha um disco deslocado. Minhas finanças viraram de cabeça para baixo.
Não pude pagar aluguel, vendi parte de minhas cotas e fui morar de favor.
Continuei firme com o propósito do centro espírita que após passar por uma
crise, cresceu como nunca. Mas o meu carma não parava aí. Não havia
passado um ano deste acidente quando ainda sofri outro. A batida foi o
suficiente para agravar os problemas que eu já tinha. Não me foi possível
dirigir o centro, passei a responsabilidade dele a Federação Espírita
Hispânica que indicou uma médium substituta.
Aos poucos me estado físico piorou. Tive a sensação de estar paralisada.
Novos testes acusaram uma possível fratura na vértebra.
Não há palavras para poder explicar meu drama. Dores físicas, longe da
minha família com profundo abalo emocional. Só me restou um amigo que me
cedeu sua cama e uma amiga, Regina, que vinha sempre me visitar.
Pela primeira vez na minha vida, depois de anos, não pensava nos espíritos,
nem os invocava, meus pensamentos e o meu coração estavam voltados
apenas para Jesus.
O espiritismo ensina que os espíritos são os mensageiros de Jesus e que
apenas através deles temos acesso à sua pessoa e à ajuda que precisamos.
Agora minha aflição e dor eram tão grande que eu passei por cima de toda a
hierarquia espiritual e fui direto àquele que é o crucificado, ressurreto,
Àquele que é o Autor da Vida, o Alfa e o Ômega, o Príncipe da Paz, a
Resplandecente Estrela da Manhã, o meu amado Jesus. Eu o invoquei de
coração. No momento em que invoquei a Jesus eu estava em crise. A
sensação de loucura. Quando me dei conta destes sintomas eu imaginava
como seria o meu fim. Não poderia responder por mim e acabaria num
sanatório. Nunca estive tão só. Neste momento os espíritas são os primeiros
a se afastar de você. Estão preocupados em cuidar dos seus próprios
carmas. A própria doutrina se encarrega de mantê-los afastados. Mas Jesus
passou a ser o Meu Companheiro.
O filme de minha vida passava pela minha mente: minha infância, a rejeição
da família, o sanatório, minha desventura matrimonial, a negação de poder
ser mãe e ter filhos, a miséria em que eu me encontrava a dor, o cansaço
mental e a angústia. Já não queria mais viver. Não tinha coragem de tirar a
minha própria vida, mas ansiava pela morte. Pedia a Jesus que tirasse a
minha vida. Eu era uma suicida em potencial, perdi todo meu amor pela vida,
aguardava ansiosa pela morte. Naquela noite em que pedi a Jesus a morte,
ele começou ali o enterro daquela criatura solitária, triste e destituída da
alegria de viver, para nascer uma nova. Eu pedi a morte a Jesus, o Autor da
Vida, ele me deu uma vida nova.

A LIBERTAÇÃO FINAL
Aconteceu comigo. Jesus moveu a terra e o céu para me libertar do
espiritismo. Houve lutas entre anjos e demônios. Eu estava em pecado,
envolta em trevas, enferma e cega espiritualmente. Jesus sempre soube
onde eu estive, mas meu coração não estava pronto para recebê-lo. O leitor
pode perguntar: ”Mas você não disse que sempre amou Jesus?” Sim, eu
amava Jesus pela sua história, pela forma que o conhecia. Meu coração
estava sempre pronto a amá-lo, mas nunca para recebê-lo, assim como ele é.
Jesus Cristo, Senhor e Salvador. O Messias do Velho e do Novo
Testamento. Aquele que derramou seu sangue para redimir o homem do
pecado e nos dar a salvação eterna. Qual é a diferença? No nesta parte
final o leitor vai entender o que eu levei dezesseis anos para compreender.
Minha oração é que os olhos do seu entendimento se abram aos ler o que vou
relatar agora.

O FOGO CONSUMIDOR
No outro dia acordei melhor. A lembrança de uma antiga amiga veio à minha
mente: Leila. Ela tinha sido umbandista e naquele momento professava
SEICHO-NO-IÊ. Havia tempo que não tinha contato com ela, mas ela vinha
constantemente à minha mente. Quinze dias se passaram e eu deveria fazer
um minucioso exame. Eu pensei: ”Quem sabe eu devo ir ao Seich-no-iê com
Leila?” pensava. Decidi procurá-la depois dos exames.
Ela havia trabalhado para mim, mas eu nunca havia visitado sua casa e nem
conhecia seu esposo pessoalmente. Eles ficaram estarrecidos ao ver minha
aparência com aquele colete no pescoço. Depois de ouvirem minha história
começaram a me contar como a vida deles mudara. Eles haviam passado por
tremenda dificuldade e encontraram Jesus Cristo numa igreja pentecostal
evangélica.. Eles estavam radiantes falando de como Jesus manifestava sua
presença e o seu poder nos cultos, como milagres aconteciam. Pude ver com
meus próprios olhos uma mudança profunda na vida de Leila.
Eles me convidaram para ir à igreja com eles. Neguei de pronto; eu tinha
pavor de pastores. Pedi a Leila que me levasse ao centro Seicho-no-iê. Eu
achava que me sentiria melhor num ambiente espírita. Com muito jeito ela
disse que me levaria sim, mas não sabia quando. Eles levaram meu nome para
que a igreja orasse. Pediram que eu aceitasse que o pastor fizesse uma
oração por mim.
Voltei para casa e quando busquei os exames, fiquei maravilhada. Deus
negativo; não havia fraturas. Teria sido um milagre? Leila e seu esposo
ficavam felizes com meu progresso. Eles insistiam para que eu aceitasse que
o pastor viesse orar por mim.
Toda noite eu passei a ter o mesmo sonho: “Estava numa casa e vinha um
fogo de fora para dentro, consumia tudo e depois que o fogo passava eu me
via no meio da casa”. Eu havia ligado para uma amiga minha Regina que
conhecia todo tipo de espiritismo. Nem mesmo ela conseguiu interpretar o
sonho. Achei que Jesus iria me levar e eu morreria queimada. Com medo
aceitei que o Pastor viesse orar por mim.
O Pastor foi muito gentil, simpático ele e esposa me trataram com ternura.
Ele se limitou a dizer que satanás queria tirar minha vida, mas que ele já
estava derrotado. Os espíritas não crêem em Satanás. Eu pensava que ele
estava se referindo aos espíritos obsessores. O que me tocou o coração foi
a preocupação que demonstraram para comigo.
Ao orar por mim ele pediu que eu repetisse a seguinte oração: “Senhor
Jesus, peço que entres no meu coração e seja meu senhor e salvador. Peço
que perdoe meus pecados e me laves com seu sangue. Eu renuncio a todos os
espíritos (nesta frase eu interrompi a oração e disse:” Mas não aos espíritos
de luz”), renuncio ao Kardecismo (interrompi novamente “Desculpe, pastor,
mas não renuncio ao Kardecismo” Ele disfarçou e continuou a oração) Ele
disse: no nome de Jesus eu ponho fogo nestes espíritos das trevas, queimo o
espírito de morte, tranca-rua. Põe fogo, Amarra. Falou nomes de espíritos
que eu jamais ouvira falar. Depois daquela oração eu me senti muito bem. O
Pastor sempre me visitava e me ajudava.
Um dia ele me convidou para ir à igreja. O Amor que eles demonstravam por
mim foi decisivo para que eu aceitasse o convite. No dia do culto fiquei
desanimada e liguei que iria sim, mas que não seria hoje. Eles foram lá a casa
me buscar. Enquanto eu ia para igreja, comecei a meditar na minha vida.
“Eu uma líder Kardecista, fundadora do grupo espírita Irmã Scheilla- o
centro espírita mais freqüentado de Miami- um jornal que já circulava em
todo sul da Flórida e em várias cidades do Brasil. Apesar de tudo isto eu
estava indo a uma igreja para buscar ajuda….”
Lembro do cântico que entoavam: “Renova-me Senhor Jesus. Põe em mim teu
coração. Porque tudo que há dentro de mim necessita ser mudado Senhor”.
Era tudo o que gostaria de dizer a Jesus. Chorei durante todo culto. O
fardo da minha angústia e aflições era grande. Enquanto eu chorava sentia
que o peso da opressão se dissipava, dando lugar a um doce consolo. Eu
sabia: Jesus Cristo me resgatou.
Apesar de eu já ter um encontro com Jesus, em minha mente eu continuava
espírita kardecista. Eu não mudara minhas convicções a respeito dos
espíritos. Sabia que não precisava mais deles para me relacionar com Jesus.
Mas minhas novas experiências não anularam o passado. Os espíritos eram
reais, a mediunidade, um fato. Eu me deparava com uma grande questão:
Estive enganada todos esses anos?
Meu problema não era aceitar Jesus e recebê-lo no coração; mas descobrir
a verdade. Eu estive enganada durante aqueles quatorze anos de
espiritismo? A minha mente estava confusa, mas meu coração havia mudado.
Eu aceitara Jesus como meu Senhor Salvador e queria tudo o que ele tinha
para me oferecer.
Jesus Cristo vive e é real. Eu nunca havia experimentado isto. Freqüentando
os cultos ficava mais impressionada. Eu perguntei a uma senhora na reunião:
que poder é este que está neste lugar? Ela me disse: É a unção de Deus
derramada pelo Espírito Santo. E quem é Ele? Eu perguntei. Ela disse O
Espírito Santo é o Consolador prometido por Jesus Cristo. Fiquei intrigada,
pois eu havia aprendido que o Espiritismo é o Consolador prometido por
Jesus. A irmã que me ensinava fez-me uma pergunta:
E Jesus iria esperar 2000 anos para mandar o Consolador. O Espírito Santo
é a promessa que se cumpriu no dia de pentecoste.
Eu disse: Jesus só você pode me mostrar a verdade.
Ele disse ao meu coração: “Eu lhe mostrarei tudo, apenas abra o coração
para receber a minha palavra (a bíblia)”.
A primeira cousa que Jesus me esclareceu foi a promessa do Consolador nas
passagens bíblicas de João 16:7 a 15, Atos 1: 4-5-8, Atos 2: 1 a 4. Estas
passagens deixam claro que Jesus não esperou 2000 anos para enviar o
consolador.
Na semana seguinte fiz à igreja e fiz um pedido a Jesus Cristo. Que
abençoasse meu filho. Quando disse “meu filho” algo rompeu dentro de mim.
Era como que pela primeira vez, eu houvesse descoberto que era mãe. O
amor de Deus estava em mim e eu pela primeira vez amava com o amor
ágape. Descobri então que eu era Nascida de Novo. Não resisti a tamanho
amor, e pela primeira vez liguei para meu filho e lhe disse: “Amo você meu
filho, sou sua mãe, e você é o tesouro que Jesus me deu” de todas as
bênçãos que Jesus me deu esta foi muito marcante.

A REVELAÇÃO FINAL
Estava confiante, recuperava minha saúde de forma rápida. Uma nova
esperança nascera no meu coração. Eu passava lutas espirituais; os espíritos
me rodeavam, soprando em meus ouvidos palavras de desânimo, tentando me
persuadir a desistir da igreja.
Pouco depois destas experiências boas sofri um grande ataque das trevas.
Eu voltara da igreja, estava preparando minha cama, quando ouvi panelas se
mexendo na cozinha, fazendo muito barulho. (Nos EUA cozinha são ligadas à
sala, separadas só por um balcão, por isso era muito claro). O pastor havia
me ensinado a repreender os espíritos usando o nome de Jesus, Eu disse:
“Espíritos eu os repreendo, saiam desta casa em nome de Jesus” Ouvi uma
voz dizer: “Ah! Você está assim! Espera que eu vou chamar o meu chefe”
Não me intimidei, pois eu estava acostumada com aquele tipo de
manifestação. Eles não tinham domínio sobre mim enquanto eu estivesse
consciente, a não ser que eu o permitisse. Eu me deitei logo. Eu estava
pensando nos acontecimentos quando, de repente, fui jogada pelos ares por
um forte chute nos quadris. Eu me levantei e antes que tivesse tempo de
entender o que estava acontecendo, fui atingida por socos e pancadas no
estômago, nas pernas e na cabeça. Uma força maligna sobrenatural não me
deixava pensar nem agir. Aquela força me atirava no chão e nos ares, sem
me dar tempo de recompor entre um ataque e outro. A cachorra, escutando
meus gritos, começou a latir, e uma voz, sonido metálico audível esbravejou:
“Agora eu vou morder você toda”
Então percebi que aquela força maligna se apossara da cachorra, que
rodopiava, rosnando desesperada e esbugalhando os olhos em minha direção.
O quadro era desesperador. De repente senti a força dentro de mim e
gritei com grande autoridade:
“Saia desta cachorra em nome de Jesus! O sangue de Jesus tem poder”. A
cachorra imediatamente ficou livre, saiu da sala chorando como se sentisse
uma grande dor.
Eu caí no chão em estado de choque. Nunca tinha passado por isto. Eu fui
espancada literalmente por forças malignas e tenebrosas. Trinta dias mais
tarde a cachorra foi operada para retirada de um caroço no estômago.
Pela primeira vez eu tive medo dos espíritos. Estava claro para mim que
aqueles ataques foram feitos por espíritos fortes, mais que simples
obsessores. Satanás era real, a sua falange de demônios estava ligada ao
meu convívio, e tinha autoridade sobre coisas do meu domínio.
Era hora de tomar uma atitude. Eu seguiria os conselhos e as orientações
dos pastores. Segundo eles eu teria de renunciar a todos os tipos de
objetos e alianças com os espíritos. Deveria renunciar a doutrina espírita,
pois assim os espíritos perderiam terreno e não teriam nenhuma autoridade
sobre meus pertences e minha vida.
Para mim foi difícil crer que teria que fazer isto, mas optei por dar crédito
aos homens de Deus.
No fundo do meu coração eu começava a crer que os Crentes tinham
conhecimento de algo que os espíritas não tinham. Eles eram firmes ao
tratar dos assuntos espirituais. Eu concordei em desfazer de todos os livros
e objetos que possuía. A maioria dos livros, mais de 200 e dos quadros
estava na minha fábrica. Foi uma boa oportunidade para voltar lá, pois havia
meses que eu a fechara e não voltara mais lá.
Assim que o pastor entrou comigo em minha fábrica um grande espelho caiu
e espatifou-se. O ambiente era sombrio. Quando temos a Luz de Jesus
podemos divisar as trevas, mesmo quando tudo parece estar normal. O
Pastor Ernani e a irmã Izabel expulsaram os espíritos, tiraram tudo o que
me ligava ao espiritismo, ungiu as portas, o maquinário, o escritório, as
mesas e todas as ferramentas de trabalho. Oraram com fervor, e eu, pela
fé, renunciei a todo o meu passado espírita, no tocante a objetos e livros
etc.
Pouco tempo depois reativei a fábrica.
Voltei a dormir em paz, sem soníferos.

A ÚLTIMA DÚVIDA.
O MEU GUIA ESPIRITUAL.
Como relatei anteriormente, eu podia sair do meu corpo e ter encontro com
os espíritos. Dentro da bíblia esta experiência se chama arrebatamento. Eu
faria qualquer sacrifício para continuar mantendo aquele contato. Eu cria
que meu guia espiritual era meu verdadeiro pai que me amava e estava no
mundo espiritual junto de mim, e me consolava o coração. Eu tive muita
dificuldade para renunciar isto. A bíblia chama este fenômeno de
arrebatamento. Eu me sentia confusa, sem entender como os espíritos
projetavam o mesmo fenômeno.

A MÁSCARA CAIU.
Jesus foi tão maravilhoso que me permitiu ver mais uma vez o quadro no
mundo espiritual. Só que desta vez eu vi o real por trás das máscaras de
anjos de luz.
Eu estava sendo levada pelo meu guia espiritual e ele se dirigiu ao mesmo
túnel que citei anteriormente. Eu sentia sua presença e estava feliz. De
repente eu me lembrei de que fui advertida que deveria renunciar aquela
prática. Num ímpeto pensei em olhar para o meu guia. (no mundo espiritual o
pensamento e a ação tem diferentes capacidades e conotações: é muito mais
rápido e ativo) Eu desejava intensamente vê-lo. Então deparei com uma
triste e horrenda realidade. Quando eu me virei, vi o rosto do próprio
Satanás. Ele tinha o braço em volta do meu corpo e me arrastava para
aquele túnel horrível. Gritei o nome de Jesus, e a mesma força, que em
experiências anteriores me dera livramento, mais uma vez me livrou.
Renunciei aquela prática e nunca mais o fenômeno ocorreu.
Os espíritas são arrebatados, sim, ao mundo espiritual; mas estão limitados
à atmosfera em que Satanás reina: um reino de trapaças, mentiras e engano.
Os crentes, porém são arrebatados aos céus.
Prezados leitores. Eu resumi uma pequena parte do livro “Nascida de Novo”
da irmã Mary Grace Hughes. As riquezas de detalhes você poderá conhecer
adquirindo este livro.
Esta linda história de amor com Jesus Cristo continua ainda por mais cinco
capítulos que são: O Batismo nas Águas, A Renovação da Mente, O
reencontro com o Fábio (filho), O Chamado de Deus, Rhema, O Galardão e
finalmente o Epílogo: Entendendo o Novo Nascimento.
A Mary Grace e seu esposo, atualmente, residem em Juiz de Fora/MG, seu
esposo também. Frequentemente voltam ao EUA. Eles têm um ministério
abençoado. É uma serva de Deus com grande coração. Está sempre disposta
a orientar os espíritas que desejam conhecer a verdade de Deus. Ela pode
testemunhar em sua igreja.
Com muito amor ela sempre atende aos pedidos de espíritas ou grupos de
espíritas para conversar.

Se você desejar ter contato com ela, entre no site de nossa igreja
www.ibrem.com.br e no link “Fale conosco”. E pode se dirigir a mim pastor
Gilmar Garbero que me empenharei para que ela receba seu pedido.
Não sou representante, nem intermediário. Sou apenas um amigo e irmão em
Cristo que trabalha para que as pessoas possam conhecer a verdade que é
Jesus.

Pastor Gilmar Garbero
E-mail: ggarbero@uol.com.br

sábado, 17 de julho de 2010

DEVEMOS USAR INSTRUMENTOS MUSICAIS NA ADORAÇÃO A DEUS?

Para compreender não somente o assunto acerca de instrumentos musicais, como também a respeito do dízimo e de outros temas de igual importância, é necessário que você entenda o que é o Antigo Testamento, e o que é o Novo Testamento. É necessário compreender o que é o povo terrenal de Deus (Israel) e o que é o povo celestial de Deus (Igreja). Se isto não for compreendido, haverá uma grande confusão com respeito à Palavra de Deus. Aliás, creio que não haveria tantas divisões entre o povo de Deus se estas diferenças fossem compreendidas.

Deus tem um povo ao qual foram feitas revelações e promessas: o povo judeu. A este povo foi dada a Lei por intermédio de Moisés e Deus irá cumprir todas as promessas que lhe dizem respeito. Aquele povo tinha uma promessa terrena: uma terra prometida, abundância de colheitas, saúde, prosperidade, muitos filhos, etc. Tenho certeza de que não preciso citar os versículos do Antigo Testamento que contém essas promessas pois você será capaz de encontrar vários deles. Não havia para eles, porém, nenhuma referência ao Céu; nenhuma promessa celestial. O culto daquele povo era um culto terreno e exterior.

Eles não tinham o Espírito Santo habitando neles, embora estivesse com ele, pois o crente, como habitação do Espírito Santo, é algo que somente encontramos após a formação da Igreja no dia de Pentecostes. Se ler atentamente Hebreus, perceberá do que estou tratando. Havia o judaísmo, com seu templo terreno, seus sacerdotes instituídos de uma determinada tribo, seus sacrifícios de animais, seus corais com cantores (que eram da tribo de Levi, cf. 1 Crônicas 15) usando roupas especiais, etc.

Mas, como poderá perceber em Hebreus, com a formação da Igreja Deus trouxe algo melhor do que o judaísmo; algo que estivera oculto em mistério (Ef.3) para ser revelado no tempo apropriado. A Igreja nada mais tem a ver com o Judaísmo. Eles possuíam um templo feito de pedras, somente um, que estava em Jerusalém; hoje, nós que cremos somos templos, tanto o nosso corpo é templo de Deus (1 Co 6.19) como, coletivamente (1 Co. 3.16).

Somos, coletivamente, "Casa de Deus", Igreja do Deus vivo (1 Timoteo 3.15), não mais feita de pedras mortas como era o templo em Jerusalém, mas construída com pedras vivas (1 Pd 2.5). Que imenso contraste do judaísmo! Os judeus eram homens oferecendo um culto exterior a Deus e necessitavam de todo um aparato magnífico, porém exterior. Nós temos o Espírito Santo de Deus habitando em nós. O cântico espiritual que sai de nosso coração (Cl 3.16) já é um produto do Espírito que habita em nós e que faz com que nossos louvores sejam elevados a Deus.

Se você compreendeu que não somos judeus, mas igreja de Deus, irá perceber que devemos buscar as doutrinas da Igreja nas cartas dos apóstolos. Sim, pois era assim que os primeiros cristãos faziam (Atos 2.42). Não temos doutrinas para a Igreja no Antigo Testamento, pois a Igreja ainda não tinha sido formada. As ordenanças do Antigo Testamento eram dirigidas aos judeus. Se formos adotar as ordenanças do Antigo Testamento, teremos que deixar de comer carne de porco, teremos que viajar para Jerusalém para adorar (pois não poderia haver outro templo), teremos que nos fazer circuncidar, e tudo aquilo que encontramos que era dirigido aos judeus.

A grande confusão que existe hoje é que alguns cristãos escolhem algumas doutrinas do Antigo Testamento enquanto outros escolhem outras doutrinas, cada um procurando aquelas que mais se adaptam a si mesmos. Há, assim, confusão e divisão.

Para o cristão, o Antigo Testamento continua sendo a Palavra de Deus, assim como o Novo Testamento, mas pertence a uma velha ordem de coisas; uma velha maneira de Deus tratar com o homem. O que vemos lá serve para nos ensinar, trazendo‑nos consolação (Rm 15.4), porém nada mais são do que sombras (Hb 8.5 e 10.1) das coisas que haviam de vir. Se vejo a sombra de alguém que amo chegando na porta de minha casa, me alegro. Mas assim que a própria pessoa chega, não vou mais me ocupar com sua sombra; tenho algo mais concreto e completo para me ocupar.

Cabe aqui lembrar que os 4 evangelhos estão incluídos em uma época de transição entre o judaísmo e o cristianismo. Você encontrará pouca coisa concernente à Igreja nos evangelhos (estou me referindo às doutrinas, e não ao ensino do Senhor). Há ainda que se ter cuidado em discernir nos Evangelhos o que é dirigido ao remanescente judeu que participará do Reino.

Você poderá perceber que era uma época de transição, mas ainda sujeita às coisas do judaísmo pois o Senhor ainda não havia completado Sua obra, pelo simples fato de o Senhor exortar os Seus discípulos a fazerem o que os fariseus ensinavam (embora não devessem fazer o que eles faziam). Ele os exortava também a dar a didracma, que era o imposto para o templo (de Jerusalém). Ora, se fôssemos obedecer isso hoje, teríamos que nos dirigir a Israel, procurar os fariseus e pedir que nos ensinassem o que devemos fazer. Além disso, teríamos que entregar a eles nosso dinheiro para a manutenção do Templo (que não existe mais).

Infelizmente a grande maioria da cristandade não entende a diferença e procuram adaptar as coisas concernentes à antiga dispensação, adotando costumes e práticas do judaísmo. Se você não aceita que judaísmo e cristianismo são coisas diferentes, deixará de aprender muitas coisas que dependem do entendimento deste ponto de grande importância.

Tratando agora diretamente do assunto relativo à música, uma vez que compreendemos que não estamos mais no judaísmo, não devemos buscar no Antigo Testamento como devemos proceder com respeito ao assunto. Se verificar no Novo Testamento, Rm 15.9; 1 Co 14.15; Ef 5.19; Cl 3.16; Hb 2.12; Tg 5.13, verá que que estas passagens que falam de música não fazem qualquer referência a instrumentos musicais. Você não encontrará qualquer referência a corais, conjuntos e coisas desse tipo no Novo Testamento. Ali você encontra a doutrina dos Apóstolos e não foi deixada nenhuma indicação para que formássemos orquestras para adorar a Deus. Tenho certeza que você concorda que Deus aceita a adoração do mais humilde dos Seus filhos, mesmo que cante desafinado e sem voz bonita.

Desde que venha do coração e seja dirigido ao Senhor (Ef 5.19; Cl 3.16), eu e você podemos ter certeza de que será um cântico aceito e mais agradável a Deus do que o cântico dos levitas em 2 Crônicas 5.12‑14. Se Deus se agradasse de todo aquele aparato exterior, Ele teria mantido tudo igual. Mas não, Deus quis trazer "vinho novo" e os odres velhos não podem conter tal vinho. Tenho certeza que um simples cântico entoado de coração e para o Senhor deixa muito menos lugar para a carne do que conjuntos, corais e orquestras ensaiados cuja maior preocupação é agradar o público que os está ouvindo.

Cabe aqui fazer um parênteses. Tudo o que estou escrevendo diz respeito à adoração coletiva, quando os crentes se reúnem como igreja ou assembléia para louvar e adorar a Deus. Ali, na presença do Senhor, entoamos nossos louvores de coração, usando o instrumento melhor que nos deu, que é a nossa voz. Não há necessidade de mais nada; nosso louvor será aceito. Em nossos lares, porém, nada impede que toquemos instrumentos musicais, mesmo em companhia de outros irmãos, ou que tenhamos discos com cantores e orquestras de música cristã para nos entreter. É um costume bastante salutar ocupar nossos momentos com boa música cristã.

O QUE A BÍBLIA FALA SOBRE ESPÍRITISMO???

ESPIRITISMO
VOCÊ NÃO DEVE PARTICIPAR DE NENHUMA FORMA DE OCULTISMO!

SABE POR QUÊ?
“Eu sou o Senhor Deus, Deus zeloso…”
“Não terás outros deuses diante de mim.”
“Buscai primeiro o reino de Deus…”

E AINDA,VOCÊ SABIA QUE…

>> Deus determinou que médiuns espíritas fossem mortos? “A feiticeira não deixarás viver” (Êxodo 22:18).

>>> Sabia que para fazer negócios com o Espiritismo significa se contaminar, e assim tornar-se inadequado para se apresentar perante Deus para adorá-lO? “Não vos voltareis para os necromantes nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles: Eu sou o Senhor vosso Deus” (Levítico 19:31).

>> Sabia que Deus lança fora do Seu povo todos os que vão atrás das práticas do Espiritismo? “Quando alguém se virar para os necromantes e feiticeiros… eu me voltarei contra ele e o eliminarei do meio do seu povo” (Levítico 20:6).

>> Sabia que apedrejamento, levando à morte, foi a sentença que Deus proferiu contra os médiuns espíritas? “O homem ou mulher que sejam necromantes, ou sejam feiticeiros, serão mortos: serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles” (Levítico 20:27).

>> Sabia que a feitiçaria, adivinhação, bolas de cristal, quiromancia, etc., estão aliados ao Espiritismo, e todos são igualmente condenados por Deus? “Não se achará entre ti…, adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos” (Deuteronômio 18:10,11).

>> Sabia que os cananeus foram destruídos devido à participação no Espiritismo? “Pois todo que faz tal cousa é abominação ao Senhor, e… teu Deus os lança de diante de ti” (Deuteronômio 18:12).

>> Sabia que quando Saul, rei de Israel, resolveu ser fiel a Deus, ele limpou da terra todos os médiuns espíritas? “Saul havia desterrado os médiuns e os adivinhos” (I Samuel 28:3).

>> Sabia que quando o próprio Saul consultou uma médium espírita, foi porque seus pecados haviam tornado impossível sua comunicação com Deus? “Consultou Saul ao Senhor, porém este não lhe respondeu…”(I Crônicas 10:13).

>> Sabia que Saul perdeu o trono e teve uma morte miserável porque essa foi a condenação de Deus por ele ter se envolvido com o Espiritismo? “Assim morreu Saul porque interrogara e consultora uma necromante” (I Crônicas 10:13).

>> Sabia que um dos piores pecados que o perverso Manassés cometeu foi o espiritismo? “[Ele] adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçaria, e tratava com necromantes e feiticeiros… para provocar [o Senhor] à ira” (II Crônicas 33:6).

>> Sabia que uma das razões porque Deus rejeitou Israel foi pelo seu envolvimento com Espiritismo? “Pois, tu, ó Senhor, desamparaste o teu povo, a casa de Jacó, porque… são agoureiros como os filisteus” (Isaías 2:6).

>> Sabia que é um insulto a Deus a consulta aos mortos, pois Ele quer que interroguemos diretamente a Ele? “Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos… acaso não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos?” (Isaías 8:19).

>> Sabia que o homem rico não pôde comunicar-se com seus irmãos após a morte, e Lázaro também não pôde? (Leia Lucas 16:19-31). Portanto, não é possível a comunicação com os mortos. Quem se manifesta nessas tentativas de comunicação com as pessoas falecidas são os demônios, que fingem ser essas pessoas. Os mortos não voltam. (Vejam II Samuel 12:15-23).

>> Sabia que Pedro condenou Simão que usava sortilégio e enfeitiçava o povo? (Atos 8:6-24).

>> Sabia que Paulo fez Elimas, o mágico, se tornar cego? (Atos 13:6-12).

>> Sabia que o médium espírita é possesso de demônios, como a jovem de Filipos, de quem Paulo expulsou um demônio em nome de Jesus. (Atos 16:16-18).

>> Sabia que cristãos verdadeiros não devem associar de qualquer forma com as práticas negras do Espiritismo? (Atos 19:19).

>> Sabia que o Espiritismo é uma das obras da “carne” e que aqueles que participam no Espiritismo nunca poderão herdar o reino de Deus? (Gálatas 5:19-21).

>> Sabia que aqueles que não se arrependem das práticas do Espiritismo não têm lugar no céu, mas serão lançados no lago que arde com fogo e enxofre? (Apocalipse 21:8; 22:15).

>> Sabia que os ensinamentos do Espiritismo são “doutrinas de demônios”? “Ora,… nos últimos tempos alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios” (I Timóteo 4:1).

OBEDIÊNCIA A DEUS É A ÚNICA SAÍDA

Nestes dias de tristeza e angústia, muitos estão confusos. Tentam encontrar uma solução rápida para os seus problemas ou pesares. Sendo ignorantes dos caminhos de Deus, de Sua paciência, e de Sua sabedoria infinita e interesse pelo bem-estar deles, correm a homens para auxiliá-los. Ou, pior ainda, vão a Satanás para pedir-lhe ajuda. Resultado: em vez de se livrarem de seus problemas, acabam se embaraçando mais e mais com eles. A razão para isso é que Satanás não é nosso amigo, e sim nosso inimigo.

Ele está em guerra contra o homem e Deus.

Deus fala que Satanás é um “inimigo derrotado”. Ele não tem poder a não ser mentira e engano. Os que estão presos sob seu poder são aqueles que crêem nas suas mentiras. Os demônios são representantes espertos, e têm prazer em fazer pretensões falsas de serem “Caboclos”, “Orixás”, “Pretos Velhos”, “santos”, ou anjos. Se o leitor for ao Espiritismo para conselho, cairá na armadilha do diabo, e se tornará escravo dele. Pois a Palavra de Deus diz que: “O salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23).

Se buscar a Deus para sabedoria e conselho, e seguir a Jesus, ele o libertará do seu problema. Não, Deus não lhe pagará um salário por confiar nEle; mas Ele tem um presente para lhe dar – e esse presente é a vida eterna.

“Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça [vida eterna]?” (Romanos 6:16).
“Sujeitai-vos, portanto, a Deus, mas resisti ao diabo, ele fugirá de vós.” (Tiago 4:7).
“Tu, Senhor, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em Ti” (Isaías 26:3).
Quem pode livrá-lo? Libertação só pode vir através de uma pessoa – Jesus Cristo.

Feliz é o homem que confia no Senhor.
Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6).

Fonte: www.jesussite.com.br

Porque nos reunimos somente ao nome de JESUS?

Parte 1 - Charles Stanley
Esta é uma pergunta feita com freqüência àqueles que se reúnem ao nome do Senhor Jesus. Muitos têm expressado o desejo de que fosse escrito um tratado claro sobre tão importante assunto e, por conseguinte, apresento afetuosamente as considerações abaixo a todos os amados filhos de Deus. A primeira razão de nos reunirmos somente ao Seu nome é: O VALOR DE CRISTO


Foi Deus Quem O exaltou e Lhe deu "um nome que é sobre todo o nome, para que ao nome de JESUS se dobre todo o joelho... e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai" (Fl 2:9-11). Assim, nosso bendito Deus e Pai Se deleitou em honrar Aquele que é "a cabeça do corpo da igreja: é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência" (Cl 1:18). Neste nome, tão precioso para todo crente, se reuniam todos os cristãos nos dias dos apóstolos. E quando foram abertas as cortinas do futuro, o que viu João, o servo de Jesus Cristo? Ao ver a Jesus Cristo disse: "E o Seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece. E eu, quando O vi, caí a Seus pés como morto; e Ele pôs sobre mim a Sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu Sou o primeiro e o último" (Ap 1:16-17). Uma porta se abriu no céu! Que visão! A visão da glória futura do Cordeiro em meio aos milhões e milhões de redimidos - "um Cordeiro, como havendo sido morto" (Ap 5:6).

"E cantavam um novo cântico" (Ap 5:9). Que privilégio estar ali e ouvir esse volume de indescritível gozo unindo-se a esse cântico! Nenhum dos que foram redimidos para Deus se recusará a cantar: "Digno és". Hostes angelicais exclamarão em alta voz: "Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças" (Ap 5:12). Sim, será possível ouvir toda a criação redimida dizendo: "Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre" (Ap 5:13-14). Assim será adorado o nosso adorável Senhor e assim será reconhecido no céu e por toda a criação. É este o conceito que Deus tem do Cristo ressuscitado, que uma vez morreu por nossos pecados - "o Justo pelos injustos, para levar-nos a Deus" (1 Pd 3:18). E assim será feita a vontade de Deus no céu.

Se alguma alma preocupada e ansiosa estiver lendo estas linhas, deve notar bem que esta é a glória redentora de Cristo. E quem são esses milhões de milhões de adoradores, redimidos por Seu sangue? Malfeitores moribundos, Maria Madalenas, pecadores da cidade. E será que Jesus é digno de trazer a esses tais para a glória? Sim! O mais Santo, Santo, Santo Deus diz que Ele é digno! E toda a criação exclama: "Amém" Oh! Você, querido leitor, dá crédito a Deus agora? Este Cristo ressuscitado é tão digno que Deus diz: "sejai-vos pois notório... que por Este se vos anuncia a remissão dos pecados. E de tudo o que, pela lei de Moisés, não pudestes ser justificados, por Ele é justificado todo aquele que crê" (At 13:38-39). Portanto, a salvação é inteiramente por Cristo. Bem aventurados aqueles que podem dizer: "TEMOS a redenção pelo Seu sangue, a remissão dos pecados" (Ef 1:7 Versão Almeida Atualizada).

Não presumo poder expor, por meio da pena ou da palavra, a gloriosa preeminência de Cristo. Aponto para as Escrituras que tão claramente mostram a dignidade de Cristo. Mas muitos que lerem este livreto perguntarão: "Qual é o cristão verdadeiro que duvida, por um instante que seja, de quão digno é Cristo, ou da grandeza de Seu exaltado nome? Com certeza há uma corda no coração de todo o cristão que vibra em resposta ao nome de Jesus. Porém a pergunta é: "Quanta, ou quão grande, é essa dignidade? Pode haver cem cristãos em um pequeno povoado ou mil em uma cidade - quero dizer, aqueles que realmente têm a redenção pelo sangue de Cristo, cujos pecados são perdoados. Ora, se Jesus é digno do louvor e da adoração unida de toda a criação, se todos os milhões de redimidos no céu se reunirão ao redor de Sua adorável Pessoa, então, não é Ele digno da adoração unida de cem em uma vila e de mil em uma cidade, sobre a Terra? Certamente no céu todo nome e divisão deixará de existir. E por que não também na Terra?

Portanto, é um grande erro supor que nos separamos de todo nome e divisão porque cremos que somos melhores do que os queridos filhos de Deus que estão nessas divisões. Longe de nós pensar assim. Não! É porque JESUS É DIGNO! Sim, digno do sacrifício de se deixar todo nome ou divisão e se reunir ao Seu nome bendito - à Sua Pessoa bendita somente. Sim, meus caros crentes, Ele é digno de que vocês não reconheçam outro nome a não ser o dEle. Que será que pensam os anjos, sabendo e deleitando-se, como fazem, no nome exaltado de JESUS, quando vêem nossas atitudes sobre a Terra? As divisões neste mundo devem apresentar um obscuro contraste quando comparadas à unidade existente no céu. Em muitos lugares pode-se ver todo o povo redimido de Deus levando vários nomes, e nem ainda dois ou três reunidos unicamente ao nome de Jesus. Mesmo assim, JESUS É DIGNO de que todo crente de uma localidade se congregue somente ao Seu nome.

Sendo assim, se a vontade de Deus se faz tão evidente no céu, ao estarem todos congregados à Pessoa do Cordeiro, como posso orar: "...seja feita a tua vontade, assim na Terra como no céu" (Mt 6:10), a menos que esteja pronto a deixar todo nome e divisão sobre a Terra, como se faz no céu? Não seria mais honesto admitir: "Tenho estado na divisão tal e todos os meus amigos estão ali; dispensa-me, portanto, de fazer a Tua vontade sobre a Terra, como se está fazendo no céu"? Será que é custoso demais reconhecer o senhorio de Cristo para a glória de Deus Pai, e não reconhecer a nenhum outro além de Cristo? Deus dá o mais elevado valor ao nome de JESUS. O homem diz que não importa que nome se leve...! Não é a natureza humana a mesma em todos os lugares? Não há a mesma tendência idólatra onde se reconhece qualquer nome como a cabeça de uma divisão? Ao se exaltar esse nome, o nome de Jesus não é reconhecido, até que, por fim, torna-se de pouca importância o ser cristão, porém uma grande coisa pertencer à denominação tal. Certamente isto é "madeira, feno, palha" (1 Co 3:12) que não vai perdurar no dia vindouro. Nos dias dos apóstolos, "JESUS" era o nome exaltado sobre qualquer outro nome. Exaltar qualquer outro nome, ainda que fosse um Paulo, ou um Cefas, era denunciado pelo Espírito de Deus como carnalidade e cisma. O simples fato de se tolerar outro nome, ou nomes, era virtualmente rebaixar o glorioso Cristo ao nível de um mero homem (1 Co 1:12; 3:4-5). (N.T.: Veja também Mt 17:4-6.)

Não acontece o mesmo hoje? Jesus é digno da adoração unida dos milhões de redimidos que se reunirão no céu, portanto Ele é digno da adoração unida e do louvor de todos os cristãos agora sobre a Terra. Não importa o que os outros façam, se reconhecem ou não somente a este Nome perante o mundo - se você, querido crente, deseja fazer a vontade de Deus, seu caminho é claro: deixe todo nome e divisão, e congregue-se somente ao nome do Senhor JESUS, o Senhor exaltado do céu.

A dúvida que pode surgir agora na mente de alguém é quanto ao tipo de presidência na igreja que está realmente de acordo com os pensamentos de Deus. Isto nos conduz à segunda razão: A SOBERANIA DO ESPÍRITO DE DEUS. (Continua...)

Por Charles Stanley - Extraído de "Palavras de Edificação, Exortação e Consolação" No. 33

PROSPERIDADE NESTE MUNDO.

Cremos que um dos maiores obstáculos para as pessoas é serem tão cativadas pelo desejo de prosperar neste mundo. A consequência disso é que o Senhor não tem o Seu lugar de direito em seus corações, e, não importa quantas desculpas possam dar, a questão na verdade é: "Estou eu buscando lucro neste mundo ou o gozo da presença do Senhor? Será que o maior desejo de meu coração é ter comunhão com Ele?"


Talvez não exista um ponto de maior importância para nós colocarmos verdadeiramente na presença de Deus. Se as vantagens neste mundo, sem falar no acúmulo de riquezas, é o que consideramos sempre em primeiro lugar, não fiquemos surpresos se aqueles que buscam tais coisas estejam se afastando cada vez mais do Senhor.
file:///C:/Documents%20and%20Settings/Admin/Meus%20documentos/Minhas%20imagens/Flores/falsos_profetas.jpg
Se, no entanto, estamos dispostos a sofrer perda e a deixar de lado tudo aquilo que impede desfrutarmos o gozo de Sua doce companhia, então podemos estar certos de que Ele não nos deixará faltar o que comer e o que vestir. Cremos que as Escrituras são hoje tão verdadeiras como sempre o foram: "Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas" (Mt 6:33).

Fazemos bem em lembrar que para o crente é dito: "Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nEle, como também padecer por Ele" (Fp 1:29). (H. H. Snel)

sexta-feira, 16 de julho de 2010

TESTEMUNHO DE LIBERTAÇÃO / JOSE ROBERTO DE MORAES dracena s.p.

TESTEMUNHO DE  LIBERTAÇÃO.

A Paz do SENHOR JESUS a todos os irmãos, que essa paz e graça possa reinar sobre todo entendimento, que a excelência da verdadeira caridade; que é o AMOR de nosso único e suficiente salvador JESUS CRISTO; continue habitando em nós.

Entretanto, não foi sem terrível luta comigo mesmo que decidi por separação definitiva da “Sã Doutrina Espiritual do Sétimo Dia”.

Oh! Quanto conflito me causou; posto que eu tivesse as escrituras a meu lado. Quantas vezes fiz a mim mesmo, com amargura, a pergunta que era tão freqüente nos lábios dos adeptos da doutrina; Só tu tem dúvidas? Poderão todos demais estar errados?

Era assim que eu lutava comigo mesmo, até que CRISTO, por sua própria e infalível palavra me fortaleceu o coração contra essas dúvidas.

Foi quando entreguei nas mãos do nosso Único e Suficiente Salvador JESUS, e falei com DEUS, me mostre à verdade, somente à verdade…

Passei 33 anos de minha vida seguindo esta doutrina, acreditando ser perfeita. Oh! Quanto desejava isso; Queria que fosse perfeita, mas a verdade me mostrou que não. Sou nascido e criado dentro desta doutrina, batizado ainda recém nascido, não culpo minha família e meus irmãos. Eles continuam acreditando nessa doutrina, acreditando ser o único caminho que leva a vida eterna…

Nos anos de 1999-2000, quando eu participava das reuniões de jovens da congregação de Dracena SP, onde aumentaram as dúvidas e perguntas sem respostas, percebendo então que não tinha uma resposta concreta para as “Três comunicações”, que a doutrina pratica.

Desde jovem, adolescente, eu já tinha dúvidas desses entendimentos fora do evangelho. Essas dúvidas aumentaram quando fiquei sabendo que a origem da “Sã doutrina Espiritual do Sétimo Dia”, era da linhagem kardecista espírita.

Pedi a DEUS que um dia me mostrasse a verdade e me tirasse essas dúvidas. Um querido irmão me emprestou o livro visões do João pozza, ao ler fiquei perplexo ao me deparar com tanto absurdos, e o pior, saber que aquilo era a historia e fundamento da minha ex-doutrina.

Para quem não conhece esse livro, conta a historia desde o inicio, da origem da “Sã Doutrina” por volta de 1914 na região de Garça perto de Marília, a revelação de uma menina o qual a família pertencia a seita espírita de Alan kardec.

Comecei investigar a fundo a origem e os fundamentos da “Sã Doutrina” confrontando com as escrituras, e estudando o evangelho de CRISTO com afinco. Pedindo sempre ao SENHOR que me orientasse e me desse sabedoria.

E o nosso SENHOR JESUS tirou as escamas dos meus olhos, a verdade foi tomando conta do meu ser, dia após dia, me mostrando o poder do Verdadeiro ESPIRITO SANTO (que antes eu não o conhecia), continuei reunindo com os irmãos da doutrina, porque ainda não tinha me desligado completamente, mas a minha fé não estava mais ali.

Quando tinha oportunidade de falar aos irmãos; Exaltava o nome de JESUS, que era de fato estranho, porque eles não vivem o evangelho, mas estão presos À LEI, e no velho testamento, se justificam assim. No ano de 2009 me desliguei completamente.

Como tinha mais irmãos com o mesmo objetivo, começamos nos reunir para estudar ainda mais a palavra de DEUS, e tudo foi se confirmando em nossos corações. Hoje somos realmente Evangélicos.

Quero deixar bem claro que o objetivo desse testemunho não é afrontar nem denegrir; é simplesmente falar da VERDADE concernente com a palavra de DEUS.

Não sendo, porém de caráter pessoal; mas sim para exaltar o evangelho de CRISTO.

A IGREJA E A VERDADE

A igreja de CRISTO aceita a bíblia como única regra de fé e prática, em Efésios capitulo 02 versos 19, 20, 21, 22 assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de DEUS; Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que JESUS CRISTO é a principal pedra da esquina; no qual todo edifício, bem ajustado, cresce para templo santo do SENHOR. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de DEUS em ESPIRITO.

Ela ensina que a salvação é unicamente pela fé em JESUS CRISTO; veja em Timóteo 02 versos 4, 5, 6: Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade. Porque há um só mediador entre DEUS e os homens, JESUS CRISTO homem, o qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho há seu tempo.

Vejamos em João 06 versos 35, 39; E JESUS lhes disse: Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede.

E a vontade do meu pai que me enviou é esta: que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no ultimo dia.

Em João 03 versos 16, 17, 18; Porque DEUS amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque DEUS enviou seu filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.

ANALISE COMIGO: O verso 18, Quem crê nele não é condenado, mas quem não crê já está condenado; porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de DEUS.

Portanto irmãos este versículo é bem claro, e anula qualquer possibilidade de “PURGATÓRIO”, ou seja: purificação de pecados após a morte, (pelo fogo do inferno) como dizem na “sã doutrina”.

A Única forma de purificação dos pecados é através do arrependimento, em CRISTO ele que pagou o preço no madeiro, através do seu sacrifício salvífico na cruz, por toda a humanidade.

O homem tem que aceitar CRISTO como seu único e suficiente salvador e arrepender-se dos seus pecados em vida, depois da pessoa morta não resta mais nada a fazer, quem faz o juízo é o Senhor.

Veja em João 03 versos 35, 36: O PAI ama o filho, e todas as coisas entregou nas suas mãos. Aquele que crê no filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no filho não verá a vida, mas a ira de DEUS sobre ele permanece.

Qualquer coisa feito “póstumo” após a morte de outrem é em vão, ou seja, HERESIA: Ou fora da bíblia, contraria a verdade do evangelho.

Pregar o evangelho a toda criatura; Mateus 24 verso 14: E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim. Pergunto: Pregar aos vivos ou aos mortos? Porque na “Sã Doutrina Espiritual do Sétimo Dia” estão tentando pregar aos mortos!

Apocalipse 14 verso 06, E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua e povo.

Meus amados irmãos peço a alguém, que me mostre na bíblia onde existe esse “mandamento” de pregar o evangelho aos mortos???

AS TRÊS COMUNICAÇÕES, PRATICADAS NA SÃ DOUTRINA ESPIRITUAL DO SÉTIMO DIA.

CEIFA ESPIRITUAL

Ou seja, comunicação com os mortos “CEIFA” TERRESTRE como é chamado pelos irmãos. ESSA PRÁTICA é espírita de origem pagã. Através da mediúnidade.

Onde os espíritos supostamente desencarnados se manifestam usando o corpo do médium e fala seu testemunho maligno no qual é supostamente julgado, e “conjurado”, ou seja, ordenado para o fogo do purgatório aonde irá supostamente purificar seus pecados.

Isto é simplesmente invocação de mortos; Vamos ver o que as escrituras fala a respeito do assunto; na luz da verdade.

Veja em Deuteronômio 18 versos 10, 11, 12; Entre ti se não achará quem faça passar pelo fogo o seu filho ou sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro. Nem encantador de encantamentos, NEM QUEM CONSULTE OS MORTOS. Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor, e por estas abominações o Senhor teu DEUS as lança fora de diante dele.

VEJAM: Isaias 08 versos 19, 20; Quando vos disserem: consultai os que têm espíritos familiares e os advinhos, que chilreiam e murmuram entre os dentes; não recorrerá um povo ao seu DEUS? A favor dos vivos interrogar-se ao os mortos?

Em Lucas 16 verso 19 em diante a parábola do rico e do Lázaro: no verso 26 diz; E, além disso esta posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tão pouco os de lá para cá. E no verso 30 diz assim, E disse ele: Não, Pai Abraão mas se algum dos mortos fosse ter com eles arrepender-se-iam.

Porém Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tão pouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite. Esse ponto anula qualquer possibilidade de contato com os mortos.

Veja: Levítico 19 verso 31: Não vos virareis para os advinhadores e encantadores; não os busqueis, contaminando-vos com eles, eu sou o Senhor vosso DEUS.

Ordenanças de DEUS ao povo hebreus que tanto DEUS cuidava, e zelava.

O nosso corpo é um vaso feito pelas mãos do Oleiro nosso Criador JEOVÁ. Temos de manter nosso corpo limpo para sermos templo do ESPÍRITO SANTO, como pode o templo do ESPÍRITO SANTO habitar ou receber ou passar “espíritos malignos”, ou como dizem na “Sã Doutrina Espiritual”, espíritos de pessoas supostamente “desencarnados”, “mortas”. Que não se salvaram e estão vagando nas trevas.

Vamos ver em primeiro aos Coríntios 06 versos 19, 20, ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do ESPÍRITO SANTO, que habita em vós, proveniente de DEUS, e que não sois de vos mesmos?

Porque fostes comprados por bom preço; glorificai pois a DEUS no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a DEUS.

Se o ESPÍRITO SANTO habita em nós como pode uma pessoa deixar os “espíritos impuros” (que na verdade são demônios e não pessoas mortas) habitar nela. A palavra é clara: isso é abominação, detestável para DEUS.

CARIDADE SOFREDORA

Supostos espíritos “BONZINHOS” supostamente desencarnados que não aceitaram JESUS em vida, e viveram desordenadamente, passa no corpo do médium e pedem perdão dos pecados para a “Maria Santíssima”, ou seja, virgem Maria, tudo isso no tribunal da “Sã Doutrina Espiritual” onde são supostamente ressuscitados para a luz.

Quem tem a chave da vida e da morte é JESUS, se não aceitamos Cristo em vida, renegamos seu sangue, como? De que formas vão ressuscitar? Impossível…

Quem derramou o precioso sangue no madeiro foi nosso amado e exaltado Senhor JESUS, Seu Amor sofredor, para lavar nossos pecados, nos comprou por um preço alto por CARIDADE a toda a humanidade, essa é a CARIDADE SOFREDORA que o apóstolo Paulo falou, no capitulo 13 primeiro aos Coríntios, não foi a virgem Maria, nem mais ninguém, que sofreu por nós.

Tribunal este que supostamente “julga” os espíritos, intercedendo no lugar de CRISTO tentando salvar alguns e condenar outros.

Essa prática espírita quer anular e blasfemar contra o nosso Senhor JESUS, que é o único mediador entre DEUS e os homens, o nosso sumo sacerdote compassivo, que pagou preço alto através do único e terrível sofrimento.

Irmãos vamos ver o que fala a palavra em João 12 verso 48, Palavras de JESUS: Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia.

AMOR SEM IGUAL

REMIÇÃO DOS PECADOS ATRAVÉS DO SANGUE DO ÚLTIMO CORDEIRO NOSSO SUMO SACERDOTE ETERNO E COMPASSIVO.

Veja em Hebreus capitulo 09 versos 23 em diante: De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes.

Porque CRISTO não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de DEUS; Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio;

Doutra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo; mas agora na consumação dos séculos uma só vez se manifestou, PARA ANIQUILAR O PECADO PELO SACRIFICIO DE SI MESMO.

E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o JUÍZO.

Portanto não cabe a nenhum humano interceder no lugar de Cristo, fazer juízo, tentar contra o lugar que é de DEUS.

PROMESSA DOS “CONSOLADORES”

“Os irmãos recebem cânticos, intitulados com nome de irmãos que já faleceram, dizendo serem os “ESPÍRITOS SANTOS”, “ou anjos consoladores”, falando de si próprio e dizendo estar na glória celestial, e dizendo para os irmãos os seguirem como exemplo.

Irmãos não conheço “consoladores” conheço O CONSOLADOR único prometido por JESUS, e confirmado.

Não falo dos irmãos que deixaram deste mundo, porque cada um tem seu próprio galardão, e a salvação é individual; também não estou desmerecendo ninguém nem querendo ofender nenhum dos meus irmãos, mas sim falar de práticas que não é concernente com a palavra de DEUS e o evangelho de JESUS.

Em primeiro lugar não Existe “ESPÍRITOS SANTOS”. O ESPIRITO SANTO é único, não fala de si próprio: Veja em João 16 verso 13 Mas quando vier aquele Espírito de Verdade ele vos guiará em toda a Verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.

O consolador prometido por CRISTO é único e convencerá o mundo do pecado, da justiça, e do juízo.

Em João 14, 15,16; fala do consolador, no singular como ESPIRÍTO SANTO, ÚNICO Ele é a essência do DEUS VIVO.

Segundo as escrituras, no céu existe HIERARQUIA: PAI, FILHO, E ESPÍRITO SANTO – Querubins, Serafins, Arcanjos, Anjos…

Como pode seres humanos mortais, pecadores, morrer e subir aos céus e usar o nome do ESPIRITO SANTO, Ou usar nome de ANJOS, ou os dois juntos “ANJO CONSOLADOR” como já cansei de ver; meu DEUS tem misericórdia; como diz a palavra: que o povo peca por falta de conhecimento

Meu amado irmão; deposite sua fé na palavra, ela é a boca de DEUS, e testifica o caminho que devemos andar. Examinais as escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam: Palavras da boca do nosso Senhor JESUS.

Toda revelação, profecias, visões, que não são concernentes com a palavra. É falsa profecia.

Vejamos o que a palavra de DEUS fala a respeito de profecias e revelações: Deuteronômio 18 versos 21, 22: E, se disseres no teu coração: Como conheceremos a palavra que o Senhor não falou? Quando o tal profeta falar em nome do Senhor, e tal palavra se não cumprir, nem suceder assim, esta é palavra que o Senhor não falou; com soberba a falou o tal profeta, não tenhas temor dele.

LOUVORES A “MÃE BONDOSA” (VIRGEM MARIA)

No cântico intitulado como louvor a Maria santíssima, pedindo a ela cobri-los com o frescor do seu manto, exaltando MARIA.

Eu conheço o Pai bondoso, nosso criador que enviou seu filho amado, JESUS para nos resgatar da servidão do pecado, pagando alto preço, com seu sangue para nos enxertar á videira verdadeira.

JESUS o único Homem digno de louvores e adoração e exaltação.

O que a bíblia diz sobre Maria e seu papel como mãe de JESUS.

Maria foi bendita entre as mulheres, virgem escolhida pelo DEUS altíssimo, cumpriu sua missão, depois continuou sua vida, teve filhos honrando seu marido José.

Vejamos: Em mateus 12 versos 46 em diante: E falando ele ainda à multidão eis que fora sua mãe e seus irmãos,pretendendo falar-lhe.

E disse-lhe alguém; Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te.

Porém JESUS, respondendo,disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos?

E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse; Eis aqui minha mãe e meus irmãos; Porque, qualquer que fizer a vontade de meu PAI que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.

VEDE em Lucas 11 versos 27, 28; E aconteceu que, dizendo JESUS estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse; Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste.

Mas JESUS disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de DEUS e a guardam.

Meus amados Irmãos se eu fosse citar todos os pontos da bíblia que é contrária a essas práticas, teria que escrever um livro com muitas páginas.

PAZ DE NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO A TODOS

Estou Disponível a dialogar, desde que seja dentro da palavra, e dentro do bom senso.

E-mail: robertomoraes96@hotmail.com

Comentários (13)
Solange Ferreira disse:
30 de junho de 2010 às 9:59
Deus abençoe sua vida irmão José, que nessa nova caminhada, com muito amor e humildade, mas tb com autoridade que vem de Deus, adquirida através de Cristo, possa fazer a diferença e ser usado de instrumento para tirar muitas almas das garras de satanás, adquirindo a visão do reino e compreensão do evangelho segundo o coração de Deus, ministrado pelo querido e doce Espírito Santo!
Louvo à Deus por sua vida.

Tenha dias abençoados, fique na Paz!

Solange Ferreira

Solange Zanini disse:
30 de junho de 2010 às 10:11
Louvo e agradeço à Deus por sua vida querido irmão José!

Qdo aceitamos seguir à Jesus e não à denominações, Ele nos resgata do engano, as escamas caem, vem a libertação.
O Espirito Santo de Deus atua em nós e nos da a direção, a compreensão da palavra que fica nitida e clara.
Percebemos na autoridade e clareza que foi escrito seu depoimento, creio que fará diferença nas vidas que procuram a verdade.

Continue na busca,na caminhada do caminho estreito e apertado, sempre humildade e amoroso, agradando o coração de Deus, amém?

Solange Ferreira

Adriano Palomares disse:
6 de julho de 2010 às 11:49
Pai, em nome de Jesus

eu entrego em tuas mãos estas vidas as quais vivem no engano os quais satanás plantou, sei também que há muitos corações endurecidos devido a ignorancia de não conhecer a tua Palavra.

Pai, em nome de Jesus eu te peço, entra nessas vidas, convença os de todas mentiras os quais estão vivendo, nós não somos nada e não somos ninguém, mas o Senhor é UM DEUS PODEROSO a através do teu ESPIRITO SANTO os pode convencer de seus erros os quais acham que são corretos.

Pai, quebra todo esse projeto de satanás, para que essas pessoas assim como nós, possam te adorar, te glorificar, te louvar, te engrandecer e ter o SENHOR como Único e Suficiente Salvador.

Pai é para a Glória do Teu Nome, e para que o Senhor tenha testemunhas e ministros para anunciar a tua Verdade ao Mundo.

Senhor Jesus, faça com que compreedam o valor do teu Sangue derramado na Cruz, faça com que compreedam o poder da tua ressurreição, faça com que compreedam quem é o Teu ESPIRITO SANTO, faça com que conheçam a Tua Verdade.

Estamos aqui Pai para te servir, eu oro Pai em nome de Jesus por todas as pessoas que acessarem esse nosso site e estejam nessas condições, sabemos que Tua vinda está próxima e que ficaram para trás todo aquele que tem ódio, rancor e todo aquele que praticam coisas abomináveis aos Teus Olhos.

Senhor Jesus, nós o amamos, e queremos todo este povo na tua presença para fazer a Tua Vontade.

Em nome de Jesus é assim que eu oro para a Glória do Teu Nome.

Amém....



Segue Algumas páginas do "Livro" de João Pozza-A Origem da Sã doutrina Espiritual do Sétimo dia.
Este livro contém mais de 100 páginas, por este motivo não digitalizei o livro todo.










VOCÊ CONHECE JESUS ?

Que a Paz de Cristo esteja com todos!

Irmão, se você ama a Deus e deseja em seu coração fazer a Vontade dEle, seguindo os verdadeiros ensinos de Cristo ou se você não conhece ao Senhor Jesus e deseja conhece-lO, faça uma pequena meditação abaixo:

A Bíblia diz em: João 3:16 – Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Vemos nesse texto a manifestação do Amor de Deus, a Verdadeira Caridade ao homem que em pecados estava condenado à morte, esse ATO foi para todo o MUNDO, oferecendo a qualquer pessoa o direito de Vida Eterna.

Mas para isso é necessário CRER EM JESUS.
Como?
Conhecendo-O.
Aonde?
Jesus disse: João 5:39 – Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam.
Jesus disse que para ter a Vida Eterna temos que EXAMINAR as Escrituras (Bíblia), pois elas testificam dEle, e assim você o Conhece, mas não de qualquer jeito, e sim como DIZ as Escrituras, pois dessa forma você alcança a Vida Eterna.

Irmão, a doutrina de Cristo não é algo que está oculto para o mundo, pelo contrário, não é a toa que a Bíblia é o livro mais vendido do mundo, e mais, observe essa declaração do Senhor Jesus:
João 18:19 e 20 – E o sumo sacerdote interrogou Jesus acerca dos seus discípulos e da sua doutrina. Jesus lhe respondeu: Eu falei abertamente ao mundo; eu sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde todos os judeus se ajuntam, e nada disse em oculto.
Veja só, NADA o Senhor disse em oculto, pois o direito de CRER e TER a Vida Eterna foi dado ao MUNDO, e você faz parte dessa maravilhosa GRAÇA.

A Bíblia é composta por 66 livros, escrita por mais de 40 autores que viveram em épocas diferentes, e não há contradição, pelo contrário, revela coisas magníficas demonstrando a Grandeza de Deus, coisas que a ciência descobriu há pouco tempo e em toda a Bíblia profecias a respeito do Senhor Jesus, Salvação do Mundo e seu cumprimento, profecias do que está acontecendo e vai acontecer.

Mas Jesus fala de uma classe de pessoas que crê nEle de acordo com as Escrituras, mas não confessam, por causa dos religiosos ou grupo de pessoas descrentes em sua volta:
João 12:42 e 43 – Apesar de tudo, até muitos dos principais creram nele; mas não o confessavam por causa dos fariseus, para não serem expulsos da sinagoga. Porque amavam mais a glória dos homens do que a glória de Deus.
Não perca o direito de ter Vida Eterna com Cristo por causa das pessoas a sua volta, antes, CREIA e anuncie a Salvação a eles também.
Romanos 10:9 e 10 – A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.

Em Romanos 14:11, a Bíblia fala que todos nós havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo, ninguém escapará desse Dia, o qual Apocalipse chama de JUÌZO FINAL, em João 12:47 Jesus fala que não veio julgar o mundo e sim salvar, mas no verso 48 diz: Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia.
Vamos confirmar em: Apocalipse 20:12 – E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante do trono, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida: e os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.
Quando nesse texto fala que �abriram-se os livros�, isso quer dizer que no Dia do Juízo Jesus irá abrir a �Bíblia (66 livros)� e o Livro da Vida em sua frente, e serás julgado pela BÍBLIA que tem em sua casa.

Meu irmão, você CRÊ em CRISTO como DIZ as ESCRITURAS?
Em Apocalipse 2:10 diz Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida. �Até a morte�, após a morte resta apenas o Juízo. Romanos 9:27

CONFESSE O SENHOR JESUS HOJE MESMO, SEGUNDO A VERDADE DAS ESCRITURAS PARA QUE TENHA VIDA ETERNA.site www.averdadeliberta.com.br/verdade/