quarta-feira, 25 de agosto de 2010

JESUS PREGOU AOS ESPÍRITOS EM PRISÃO?

Jesus pregou aos espíritos em prisão?



1 Pedro 3:19 No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão;



Todas as pessoas que tem uma preocupação, o temor a Deus, um compromisso com a verdade, antes de tirar conclusões a respeito de um texto isolado, procura orar e pedir ao Espírito Santo orientação, e através da própria Palavra de Deus tira suas conclusões.



É importante buscarmos o conhecimento dentro da Palavra como um todo, pois na Bíblia não existem contradições, o que existe são conceitos de homens de textos isolados fora do seu contexto.



Muitas seitas que acreditam em um processo de regeneração, purificação e salvação após a morte usam esse texto isoladamente para defender a sua crença, o catolicismo que defende o purgatório, e os espíritas diz fazer uma “pregação” aos supostos espíritos de mortos para que se arrependam.



Será que Jesus realmente pregou aos espíritos dos mortos?



Antes de tirarmos nossas conclusões vamos analisar a Bíblia como um todo, o que Jesus fez e ensinou durante seu ministério.



Cremos que o Senhor Jesus é o Filho de Deus, e Deus juntamente ao Pai, e devido isso é Criador, sempre existiu e sempre existirá.



João 1

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

2 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.

3 Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.

14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.



João 17:24

Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me amaste antes da fundação do mundo.



É importante entendermos que Cristo sempre existiu e antes de se fazer carne também trabalhava em favor da humanidade.



Perceba que o mesmo Pedro que escreveu o texto em questão sabe disso: 1 Pedro 1:20

O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós;



E com mais clareza Pedro revela que antes de se fazer carne Jesus estava sobre os profetas.



1 Pedro 1

10 Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que vos foi dada,

11 Indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, anteriormente testificando os sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir.



O Senhor Jesus Cristo, antes de se fazer carne, através da boca dos profetas já anunciava a mensagem da salvação pela graça, portanto, até mesmo antes de Jesus se fazer carne, quem creu nessa mensagem está salvo, pois também era a mensagem de Cristo, só que a mensagem era que iria vir um Salvador, para lavar os nossos pecados, hoje pregamos que já veio o Salvador e que lavou nossos pecados através do sangue na cruz. De qualquer maneira só Jesus salva!



O Senhor Jesus veio ao mundo, fez grandes maravilhas, pregoou o arrependimento, anunciou o Reino de Deus, realizou tudo aquilo que estava escrito e que antes havia dito, e se entregou a si mesmo como sacrifício aos pecados do mundo. Hoje, pregamos a salvação pela graça, mediante o sangue de Cristo do qual fora deste não há purificação de pecados.



O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;

Hebreus 1:3



Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?

Hebreus 9:14



E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta.

Hebreus 13:12



Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça,

Efésios 1:7



Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.

1 João 1:7



Os textos acima, e muitas outras referências não citadas, nos mostra apenas um meio de purificação de pecados, através do Sangue de Cristo. Essa é a mensagem da Graça, o Senhor Jesus entrega a si mesmo, por mim e por você para que nossos pecados sejam perdoados, mas apenas uma coisa me impede; a minha decisão.



Então para que o Sangue me purifique eu preciso aceitar essa condição, por isso que Jesus sempre disse: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

João 3:16 e 18



A condição revelada pelo próprio Jesus de quem não crer é de condenação, pois é uma decisão, Cristo nos oferece de graça a salvação, mas precisamos aceitar e viver como salvo, pois a partir do momento que voltamos ao pecado estamos negando a salvação.



O crer desse texto, é o crer como Senhor e Salvador da nossa vida, é uma entrega de amor e fé a Jesus, e não apenas um crer de acreditar que Ele existe, pois dessa maneira até o diabo acredita.



Mas enfim, será que o Senhor Jesus entraria em contradição em seus ensinos caso existisse outro meio de purificação e salvação após a morte?



Imaginamos que sim, então o porquê de um grande sacrifício com tanta dor e sofrimento se existe outro meio de salvação?



Estaria Jesus se contradizendo quando contou uma historinha conhecida como a Parábola do Rico e Lázaro quando ensina que não é possível mudar a condição do estado de alguém após a morte? Lucas 16:19 ao 31.



Se existisse um meio de pregar aos mortos, ou de purificação após a morte, estaria a Bíblia se contradizendo em seus textos, que dizem:



Se após a morte apenas nos resta o juízo.

E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,

Hebreus 9:27



Ou será que existe uma forma de me tornar fiel após a morte, sendo que a Bíblia diz que meu limite para as minhas decisões é até a morte.

...Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.

Apocalipse 2:10



Será que a gente pode realizar algum tipo de trabalho em favor dos mortos ou supostos espíritos, sendo que Jesus foi constituído juiz dos vivos e dos mortos? Eu não estaria passando por cima da autoridade de Jesus?

E nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Deus foi constituído juiz dos vivos e dos mortos.

Atos 10:42



A Bíblia também diz: Há só um legislador que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?

Tiago 4:12



Será que você é justo o suficiente para acreditar que pode salvar ou condenar alguém que já morreu?

Se eu morrer hoje, será que meu julgamento será feito por homens pecadores através de uma doutrina espírita? Faço as minhas palavras a de Paulo, que diz: Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o Senhor.

1 Coríntios 4:4



A nossa missão aqui na terra é em favor dos vivos, pregar, ajudar, amar, fazer algo em favor daquele que vemos e tocamos, pois seria muito fácil esperar alguém morrer para eu pregar para ela no purgatório através de uma espécie de mediunidade.



Jesus pregou aos espíritos em prisão?



Já entendemos que Jesus é Deus, e nos criou, e que antes de se fazer carne estava sobre os profetas inspirando em suas pregações, e que se fez carne pregando o arrependimento e a salvação, nos orientando a tomarmos uma decisão, que somente nEle há salvação. Aprendemos que somente há purificação de pecados através do Sangue de Cristo, fora do sangue à graça seria inútil. Também entendemos que a fidelidade só é possível até a morte, depois não é possível, pois o juízo será estabelecido e eu não posso me colocar como tal juiz, pois o Senhor Jesus foi estabelecido como Juiz dos vivos e dos mortos.



E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

João 19:30



Na cruz Jesus disse: está consumado, e como ele consumaria algo que ainda não estava pronto, todo o serviço não estava feito?



Concluímos que o plano de Deus para salvação da humanidade foi consumado na cruz.



Analisando o texto e o contexto de 1 Pedro 3:19.



No começo do capítulo 3 Pedro inicia com conselhos para maridos e esposas, e a partir do verso 8 inicia conselhos práticos para aplicarmos em nossa vida a exemplo de Cristo, e até o verso 17 ele fala como devemos proceder.



Em 1 Pedro 3 a partir do verso 18, ele começa a dizer o que Cristo fez por nós, que diz: Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;



Jesus morreu pelos nossos pecados para podermos chegar a Deus, mas ao 3º dia ressuscitou. A morte não pode pará-LO.



Verso 19 ao 22

No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão;

Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água;

Que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, o batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo;

O qual está à destra de Deus, tendo subido ao céu, havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potências.



Os “espíritos em prisão” foi um termo empregado por Pedro hoje aos rebeldes dos dias de Noé, pois durante a construção da arca, o Espírito de Cristo estava sobre Noé que pregava a esse povo a justiça, mas, porém esse povo não se arrependeu e com isso apenas oitos almas se salvaram.



Então Pedro usa esse fato como figura aos nossos dias em relação ao batismo, estamos ouvindo a pregação e mesmo assim, se ficarmos endurecidos, seremos condenados.



E o mesmo Pedro declara que Deus não perdoou esse povo, então o que Jesus iria fazer lá no inferno pregar a eles? Veja o que o mesmo Pedro disse: E não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios;

2 Pedro 2:5



Deus havia feito um plano de salvação a esse povo, mas era através da pregação de Noé, mas não a aceitaram.



Se pregar aos espíritos dos mortos fosse uma prática real e presente, o texto não trataria do assunto no passado e apenas para os rebeldes do tempo de Noé, pois até Cristo o mundo teve muitos povos rebeldes, Sodoma e Gomorra, porque seriam só os do tempo de Noé?



No capítulo 4 Pedro inicia novamente dizendo o que Cristo fez para nós, nos dando mais alguns conselhos até o verso 4, e no verso 5 e 6 ele diz: Os quais hão de dar conta ao que está preparado para julgar os vivos e os mortos.

Porque por isto foi pregado o evangelho também aos mortos, para que, na verdade, fossem julgados segundo os homens na carne, mas vivessem segundo Deus em espírito;



Pedro lembra mais uma vez do juízo estabelecido para vivos e mortos, e nos da uma visão que no dia do juízo ninguém estará inocente. Pois no passado foi pregado aos mortos, para que eles fossem julgados segundo suas práticas, e também foi pregado a eles para que naquela época eles vivessem segundo Deus em espírito (viver em espírito não é um estado pós-morte, e sim viver na obediência a Deus).



Quero que entendam, quando o evangelho foi pregado a esses mortos que Pedro se referiu, eles estavam vivos, perceba que mortos e a condição presente deles quando citado por Pedro, mas a pregação foi feita no passado, percebam que depois disso Pedro continua se referindo a eles no passado, “fossem”, “vivessem”.



Se a pregação aos mortos literalmente é presente hoje, ou no tempo de Pedro, ele não falaria “foi pregado”, e sim, “é pregado”, e “vivessem”, quer dizer que não vivem mais?



A atenção a cada detalhe, além do contexto bíblico é muito importante antes de chegarmos a uma conclusão de um texto isolado, a atenção da conjugação verbal também é importante, pois um pequeno erro pode se criar uma grande heresia.



Meu irmão, Jesus te ama, e quer que venha ao conhecimento da verdade, Ele tem grande obras a confiar em tuas mãos, uma delas, e a pregação do evangelho aos vivos, para que através de sua vida a salvação cheguem a eles para a glória de Deus.



Deus te abençoe!

ADRIANO PALOMARES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa seu comentário...Obrigado...